“Shippers” no Twitter: práticas de fãs de ficção televisiva

  • Fernanda Castilho Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP)
  • Tomaz Penner Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP)
Palavras-chave: Televisão, Audiências, Fãs, Twitter, Ficção Televisiva.

Resumo

O crescimento da figura do fã e suas respectivas práticas nas redes sociais vêm se tornando cada vez mais um objeto de estudo de relevo no campo dos estudos de televisão e ficção em diferentes contextos, inclusive no Brasil (LOPES et al., 2015). A proposta desse artigo é observar manifestações culturais dos fãs de títulos de ficção da TV aberta na plataforma social Twitter. Procuramos centralizar a análise na prática do shipping com uso de hashtags, sistema de indexação utilizada pelos fãs com frequência no Twitter, a partir de dois títulos ficcionais de grande audiência, de modo a identificar diversos tipos de performance (PEARSON, 2010) e possíveis alianças afetivas (GROSSBERG, 1992). Tal análise, realizada de forma exploratória com uso de ferramentas de quantificação de palavras-chave, indicou como resultados a construção de mapas de importância e identificação cultural que facilitam o agrupamento dos fãs por interesses cada vez mais específicos, apontando o aumento da sofisticação das práticas dos fãs e consequente interesse das emissoras por esses fenômenos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Castilho, Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP)

Pós-doutoranda na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, Brasil. Doutora e mestre pela Universidade de Coimbra, Portugal. Pesquisadora do Centro de Investigação Media e Jornalismo (CIMJ) e do Centro de Estudos de Telenovela (CETVN). Email: fernanda.castilho7@usp.br.

Tomaz Penner, Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP)
Mestrando no Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, Brasil. Pesquisador em Linguagens e Estéticas Narrativas Televisuais e Transmídia. Email: tomazpenner@gmail.com.

Referências

AMARAL, Adriana. Manifestações da performatização do gosto nos sites de redes sociais: uma proposta pelo olhar da cultura pop. Revista ECO-Pós, v,17, n.3, 2014. Disponível em:
. Acesso em: 18 dez. 2015.

BOOTH, Paul. Digital Fandom: new media studies. Nova Iorque: Peter Lang, 2010.

CASTILHO, Fernanda. TeleTube: Novo Passeio pelos Bosques da Ficção Televisiva. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) - Universidade de Coimbra, Coimbra, 2014.

COSTELLO, Victor; MOORE, Barbara. Cultural outlaws: an examination of audience activity and on-line television fandom. Television & New Media, v. 8, n. 2, p. 124-43, 2007.

DUTTON, Nathan et al. Digital pitchforks and virtual torches: fan responses to the mass effect news deacle. Convergence: The International Journal of Research Into New Media Technologies, v. 17, n. 3, p. 287-305, 2011.

FISKE, John. The cultural economy of fandom. In: LEWIS, Lisa A. The adoring audience: Fan culture and popular media. Londres: Routledge, 1992. p. 30-49.

GRECO, Clarice. Qualidade na TV: telenovela, crítica e público. São Paulo: Atlas, 2013.

GROSSBERG, Lawrence. Is there a fan in the house?: The affective sensibility of fandom. In: LEWIS, Lisa A. The adoring audience: Fan culture and popular media. Londres: Routledge, 1992, p.50-68.

HARRINGTON, C. Lee; BIELBY, Denise D. Soap Fans: Exploring Pleasure and Making Meaning in Everyday Life. Filadélfia: Temple University Press, 1995.

JENKINS, Henry. Invasores do Texto: fãs e cultura participativa. Nova Iguaçu: Marsupial, 2015.

LIVINGSTONE, Sonia. Internet literacy: a negociação dos jovens com as novas oportunidades on-line. MATRIZes, v.4, n.2, p. 11-42, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2016.

LOPES, Maria ImmacolataVassallo de, et al. Caminhos da ficção entre velhos e novos meios. In: LOPES, Maria Immacolata Vassallo de; OROZCO GÓMEZ, Guillermo (orgs.). Qualidade na ficção televisiva e participação transmidiática das audiências: OBITEL 2011. São Paulo: Globo, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2016.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo de et. al. A autoconstrução do fã: performance e estratégias de fãs de telenovela na internet. In: LOPES, Maria Immacolata Vassallo de (org.), Por uma teoria de fãs da ficção televisiva brasileira. Porto Alegre: Ed. Sulina, 2015.

PEARSON, Roberta. Fandom in the Digital Era. Popular Communication: The International Journal of Media and Culture, v. 8, n. 1, p.84-95, 2010.

PESSOTTO, Ana HeloizaVita; TOLEDO, Glauco Madeira de. Inimigos mais perto ainda: Globo produz conteúdo para hater e troll. Revista GEMInIS, v. 5, n.2, p. 79-95, 2014. Disponível em: . Acesso em: 05 dez. 2016.

PIENIZ, Mônica. Mediação estrutural da tecnicidade: o trânsito das audiências a partir do Twitter. MATRIZes, v.9, n.1, p. 213-228, 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2016.

SCODARI, Christine; FELDER, Jenna L. Creating a pocket universe: “Shippers,” fan fiction, and the X-Files online. Communication Studies, v.3, n.51, p.238-257, 2000.

WILLIAMS, Rebecca. Wandering off into soap land: Fandom, genreand ‘shipping’. The West Wing. Participations: Jornal of Audience & Receptions Studies, v. 8, n. 1, p. 270-295, 2011.
Publicado
2017-08-30
Como Citar
CASTILHO, F.; PENNER, T. “Shippers” no Twitter: práticas de fãs de ficção televisiva. Lumina, v. 11, n. 2, p. 216-233, 30 ago. 2017.