Contribuições do grupo musical Songoro Cosongo para o crescimento do carnaval de rua e das fanfarras cariocas no início do século XXI

  • Micael Herschmann Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRJ, onde também dirige o Núcleo de Estudos e Projetos em Comunicação.
  • Maria Pilar Cabanzo Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFF.
Palavras-chave: Comunicação, Música, Cultura Urbana, Latinidade, Circuito Cultural

Resumo

Tomando como base a pesquisa empírica realizada nos últimos anos (construída não só a partir da coleta, seleção e análise de matérias veiculadas na mídia impressa tradicional e material postado nas redes sociais, mas também de observações de campo e entrevistas semiestruturadas realizadas com os atores), buscou-se – a partir do estudo da trajetória do grupo musical Songoro Cosongo – analisar a relevância das sonoridades latinas para o crescimento do carnaval de rua e das fanfarras nos últimos anos na cidade do Rio de Janeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Micael Herschmann, Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRJ, onde também dirige o Núcleo de Estudos e Projetos em Comunicação.

 Pesquisador 1 do CNPq, realizou estágios de pós-doutoramento em Comunicação (pela Universidade Complutense de Madri) e em Ciências Sociais (pela PUC-SP). Atualmente é professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRJ, onde também dirige o Núcleo de Estudos e Projetos em Comunicação.

Maria Pilar Cabanzo, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFF.
Mestre em Comunicação pela UFRJ e atualmente doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFF.

Referências

BAKTHIN, Mikhail. Cultura popular na Idade Média e no Renascimento. São Paulo: Hucitec, 2010.
BAUMAN, Richard. Verbal art as performance. In: BAUMAN, Richard. (org.) Verbal Art as performance. Illinois: Waveland Press, 1984.
BEEMAN, William O. The anthropology of theater and spectacle. Annual Review of Anthropology. Nova York: vol. 22, 1993.
BURNS, Mick. Keeping the Beat on the Street. Baton Rouge: Louisiana State University Press, 2006.
CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro. Carnaval Carioca. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2006.
GARCIA CANCLINI, Néstor. Latino-americanos à procura de um lugar neste século. São Paulo: Iluminuras, 2008.
GARCÍA CANCLINI, Néstor G. et al. Jóvenes, culturas urbanas y redes digitales. Madri: Fundación Telefónica, 2012.
GUIBERT, Gérome. Les Nouveaux courants musicaux. Nantes: Éditions Séteun, 1998.
HERSCHMANN, Micael. Cenas, Circuitos e Territorialidades Sônico-Musicais. In: SÁ, Simone P.; JANOTTI JUNIOR, Jeder (orgs.). Cenas Musicais. Guararema: Ed. Anadarco, 2013.
_____ . Lapa, cidade da música. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.
_____; FERNANDES, Cíntia S. Música nas ruas do Rio de Janeiro. São Paulo: Ed. Intercom, 2014.
JENKINS, Henry. Piratas de textos. Barcelona: Paidós, 2010.
MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1987.
MARQUES, Márcio. A revitalização do carnaval de rua do Rio de Janeiro. Revista Jovem Museologia. Rio de Janeiro: Departamento de Museologia/UNIRIO, n. 1, 2006.
MATTA, Roberto da. Carnaval, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.
NEGUS, Keith. Géneros musicales y la cultura de las multinacionales. Barcelona: Paidós, 2005.
PIERRE, Jean L.; BRIDENNE, Michel. Guide de las Fanfares. Paris: Irma, 2007.
PIMENTEL, João. Blocos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.
PEREIRA, Simone Luci; SANTIAGO, Sabrina. Circuitos, cenas, cosmopolitismos: cartografias da latinidade em São Paulo. Anais do IV COMUNICON. São Paulo: ESPM-SP, 2014a, p. 1-16.
_____ . Uma certa escuta da cidade: práticas musicais entre cubanos em São Paulo. Revista Logos. Rio de Janeiro: PPGCOM da UERJ, vol. 2, n. 24, 2014b, p. 1-17.
ZUMTHOR, Paul. Performance, recepção e leitura. São Paulo: EDUC, 2000.
Publicado
2016-12-22
Como Citar
HERSCHMANN, M.; CABANZO, M. P. Contribuições do grupo musical Songoro Cosongo para o crescimento do carnaval de rua e das fanfarras cariocas no início do século XXI. Lumina, v. 10, n. 3, 22 dez. 2016.