O jogo da paz e seus enunciados: uma perspectiva discursiva sobre a partida entre Estados Unidos e Irã na copa do mundo de 1998

  • Márcia Helena Sauaia Guimarães Rostas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense
  • Luciane Lualbernaz de Araújo Freitas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense
  • Alexandre Kerson de Abreu Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense
Palavras-chave: discurso, imprensa mundial, carnavalização.

Resumo

O artigo tem como objetivo apresentar algumas reflexões, à luz das teorias bakhtinianas, sobre os enunciados presentes no contexto sócio-histórico da realização da partida de futebol entre Estados Unidos e Irã, válida pela Copa do Mundo de 1998, na França, e batizada de Jogo da Paz pela imprensa mundial. A proposta é trabalhar os conceitos de ato/atividade, evento e carnavalização, mostrando como pode ser construída uma teia de enunciados e diferentes produções de sentido que tangenciam a tensa relação política/diplomática entre os dois países fora das quatro linhas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Helena Sauaia Guimarães Rostas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense
possui graduação em Pedagogia - Habilitação em Supervisão Escolar e em Magistério das Matérias Pedagógicas pela Universidade Federal do Maranhão; Especialista em Magistério Superior pelo Uniceuma; Mestre em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco e Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista - UNESP Araraquara. Atualmente é professora adjunto do Departamento de Graduação e Pós-Graduação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense, campus Pelotas; Coordena o Curso de Pós-Graduação em Educação, modalidade EaD, no âmbito da Universidade Aberta do Brasil (UAB); Membro da Câmara de Ensino e do conselho do campus Pelotas do IFSul, Integra o corpo docente permanente do Programa de Mestrado Profissional em Educação e Tecnologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense/IFSul MPET. Líder e pesquisadora do Grupo de Pesquisa (GP) Discurso Pedagógico
Luciane Lualbernaz de Araújo Freitas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense

Freitas possui graduação em Pedagogia - Habilitação em Supervisão Escolar pela Universidade Católica de Pelotas, graduação em Pedagogia - Habilitação em Magistério das Matérias Pedagógicas e Magistério em Classes de Excepcionais (Deficiente Mental) pela Universidade Católica de Pelotas, especialista em Metodologia do Ensino pela Universidade Católica de Pelotas, Mestre em Desenvolvimento Social pela Universidade Católica de Pelotas e Doutora em Educação Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande. Atualmente é professora do Departamento de Graduação e Pós-Graduação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense, campus Pelotas; coordena o Curso de Licenciatura em Informática, integra o corpo docente permanente do Programa de Mestrado Profissional em Educação e Tecnologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense/IFSul MPET. Vice-Líder e pesquisadora do Grupo de Pesquisa (GP) Discurso Pedagógico.

Alexandre Kerson de Abreu, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense

possui graduação em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela Universidade de Ribeirão Preto e graduação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pelotas. Especialista em Linguagens Verbais, Visuais e suas Tecnologias pelo Instituto Federal Sul-rio-grandense. Acadêmico do Mestrado Profissional em Educação e Tecnologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense/IFSul MPET. Atualmente é jornalista do Instituto Federal Sul-rio-grandense no Campus Pelotas. Tem experiência na área de Assessoria de Imprensa, Marketing e Análise de Discurso. Membro do Grupo de Pesquisa (GP) Discurso Pedagógico

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 12ª ed. São Paulo: HUCITEC, 2006.
BAKHTIN, Mikhail. O freudismo. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
BAKHTIN, Mikhail. Para uma filosofia do ato. Tradução da ed. americana Toward a Philosophy of the Act. Austin: University of Texas Press, por Carlos Alberto Faraco e Cristovão Tezza, 1993.
BOMBONATO, Pedro Guilherme Orzari. Carnavalização e linguagem: o futebol como dramatização da sociedade brasileira. 88f. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de São Carlos, 2013.
BRAIT, Beth. Bakhtin e a natureza constitutivamente dialógica da linguagem. In: BRAIT, Beth. (org.). Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. 2ª ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2005.
BRAIT, Beth; MELO, Rosineide de. Enunciado/enunciado concreto/enunciação. In: BRAIT, Beth (org). Bakhtin: conceitos-chave. 5ª ed. São Paulo: Contexto, 2012.
DAMATTA, Roberto da. Esporte na sociedade: um ensaio sobre o futebol brasileiro. In: DAMATTA, Roberto da et al. Universo do futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1982.
DI FANTI, Maria da Glória Corrêa. A linguagem em Bakhtin: pontos e pespontos. Veredas – Revista de Estudos Linguísticos. Juiz de Fora, v.7, n.1 e n.2, p.95-111, jan./dez. 2003.
GERALDI, João Wanderley. Linguagem e identidade: breve nota sobre uma relação constitutiva. Ciências & Letras, Porto Alegre, n.49, p. 9-19, jan/jun 2011. Disponível em: http://seer3.fapa.com.br/index.php/arquivos/article/view/79. Acesso em 05/10/2014.
HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1980.
MIOTELLO, Valdemir. Ideologia. In: BRAIT, Beth (org). Bakhtin: conceitos-chave. 5ª ed. São Paulo: Contexto, 2012.
PÊCHEUX, Michel. O discurso: estrutura ou acontecimento. Tradução de Eni P. Orlandi. 4. ed. Campinas: Pontes, 2006.
RIBEIRO, Luis Filipe. O conceito de linguagem em Bakhtin. In: Revista Brasil de Literatura, Rio de Janeiro, 2006. Disponível em: http://revistabrasil.org/revista/artigos/crise.htm. Acesso em: 05/10/2014.
SAMPAIO, Maria Cristina Hennes. A propósito de Para uma filosofia do ato (Bakhtin) e a pesquisa científica nas Ciências Humanas. Bakhtiniana - Revistas de Estudos do Discurso. São Paulo, v.1, n.1, p. 42-56, 1º sem. 2009.
SILVA, Marta Cristina. A avaliação da leitura em língua estrangeira: explorando gêneros textuais. Tese de Doutorado, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2004. 317p.
SOBRAL, Adail. Ato/atividade e evento. In: BRAIT, Beth (org). Bakhtin: conceitos-chave. 5ª ed. São Paulo: Contexto, 2012.
VOLOSHINOV,V.N. “Que é linguagem”. In: La revolución bajtiniana: el pensamento de Bajtín y la ideologia contemporânea. Madrid: Cátedra, 1998.
Publicado
2016-04-29
Como Citar
ROSTAS, M. H. S. G.; FREITAS, L. L. DE A.; ABREU, A. K. DE. O jogo da paz e seus enunciados: uma perspectiva discursiva sobre a partida entre Estados Unidos e Irã na copa do mundo de 1998. Lumina, v. 10, n. 1, 29 abr. 2016.
Seção
Artigos