Falo pra ti, mas quem és? Uma investigação sobre o telespectador a partir do formato

Autores

  • Cárlida Emerim Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Beatriz Cavenaghi Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Palavras-chave:

Telejornalismo, Formato, Telespectador, Semiótica Discursiva, Metodologia.

Resumo

Partindo do contexto de convergência e da multiplicidade de ofertas da programação televisiva, os telejornais, produto central das pesquisas desenvolvidas pelos autores, acabam sendo pressionados à mudanças sem que se possa compreender, de fato, se este público alvo realmente quer mudanças estruturais neste tio de produto. Nesta perspectiva, o presente artigo propõe-se a apresentar uma metodologia de investigação do receptor a partir do formato dos programas televisivos com o objetivo de construir um percurso de compreensão sobre o público telespectador de telejornais. Para tanto, a proposta parte da articulação dos preceitos da Semiótica Discursiva com as regras práticas de produção televisiva e, ainda, com as condições culturais e sociais que engendram a televisão contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cárlida Emerim, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Jornalista, Mestre em Semiótica, Doutora em Processos Midiáticos, professora e pesquisadora na graduação e pós-graduação do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC/SC), líder do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Telejornalismo (GIPTELE/UFSC/CNPq)

Beatriz Cavenaghi, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Jornalista, Mestre em Jornalismo, Doutoranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na área de Mídia e Conhecimento. Pesquisadora do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Telejornalismo (GIPTele/UFSC/CNPq).

Referências

CARDOSO, João Batista Freitas. A semiótica do cenário televisivo. São Paulo: Annablume; Fapesp; USCS, 2008.

CAVENAGHI, Beatriz de Araújo. Telejornalismo local: estratégias discursivas e a configuração do telespectador. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Jornalismo (POSJOR), Universidade Federal de Santa Catarina. 2013.

CHARAUDEAU, Patrick. Le discour d’information médiatique: la construction du miroir social. Paris: Nathan, 1997.

DUARTE, Elizabeth Bastos. Fotos e Grafias. São Leopoldo: Ed. UNISINOS, 2000.

______. Televisão: ensaios metodológicos. Porto Alegre: Sulina, 2004.

EMERIM, Cárlida. Muvuca: ensaios sobre o texto televisivo. 2000. 310 f. Dissertação (Mestrado em Semiótica) UNISINOS, São Leopoldo, 2000.

______ (org.). Pesquisa em Televisão: resultados e experiências. Novo Hamburgo: Ed. FEEVALE, 2011.

______. As entrevistas na notícia de televisão. Florianópolis: Insular, 2012.

FAUSTO NETO, Antônio. Impeachment da televisão: como se cassa um presidente. Rio de Janeiro: Diadorim, 1995.

GREIMAS, J. COURTÉS e Algirdas J. Dicionário de Semiótica. São Paulo: Cultrix, 1979.

HERNANDES, Nilton. A mídia e seus truques: o que jornal, revista, tv, rádio e internet fazem para captar e manter a atenção do público. São Paulo: Contexto, 2012.

HERREROS, Mariano Cebrián. Información Televisiva: mediaciones, contenidos, expresión y programación. Madrid: Editorial Síntesis, 1998.

JACKS, Nilda. Mídia nativa: indústria cultural e cultura regional. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1999.

JOST, François. Compreender a televisão. Porto Alegre: Sulina, 2007.

LACALLE, Charo. El espectador televisivo: los programas de entretenimento. Barcelona: Gedisa, 2001.

MACHADO, Arlindo. A televisão levada a sério. São Paulo: Senac, 2003.

MARTIN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações - comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

MATUCK, Artur. O potencial dialógico da televisão - comunicação e arte na perspectiva do receptor. São Paulo: Annablume, 1995.

PINTO, Milton José. Comunicação e discurso: introdução à análise de discursos. São Paulo: Hacker, 1999.

PORCELO, Flávio; RAMOS, Roberto. Âncora na TV: a celebração do discurso do poder. In: PORCELLO, Flávio; VIZEU, Alfredo; COUTINHO, Iluska (orgs.). O Brasil (é)ditado. Florianópolis: Insular, 2012.
RIBEIRO, Ana Paula Goulart; SACRAMENTO, Igor; ROXO, Marco. História da televisão no Brasil: do início aos dias de hoje. São Paulo: Contexto, 2010.

REZENDE, Guilherme Jorge de. Telejornalismo no Brasil: um perfil editorial. São Paulo: Summus, 2000.

SANTAELLA, Lucia. O que é Semiótica. São Paulo: Summus, 1983.

SARLO, Beatriz. Cenas da vida pós-moderna: intelectuais, arte e vídeo-cultura na argentina. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

VERÓN, Eliseo. La semiosis social: fragmentos de una teoría de la discursividad. Barcerlona: Gedisa, 1997.

Downloads

Publicado

2015-06-30

Como Citar

EMERIM, C.; CAVENAGHI, B. Falo pra ti, mas quem és? Uma investigação sobre o telespectador a partir do formato. Lumina, [S. l.], v. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/21176. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos