Análise das audiências públicas da Comissão Nacional da Verdade: apontamentos sobre a articulação dos conceitos de história de vida, luta por reconhecimento e memória coletiva

Autores

  • Vanessa Veiga de Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2014.v8.21149

Palavras-chave:

Reconhecimento, Ditadura, Histórias de Vida, Audiências Públicas.

Resumo

O presente trabalho tem como proposta analisar as audiências públicas que estão sendo realizadas desde julho de 2012 pela Comissão Nacional da Verdade, a fim de evidenciar possíveis funções políticas dos testemunhos para a constituição da CNV e para o desenrolar da luta pelo direito humano à memória e a verdade no Brasil. De tal forma, o artigo se fundamenta nos conceitos de luta por reconhecimento e histórias de vida, e procura discutir como experiências individuais podem se transformar em questões de interesse coletivo e afetar um processo político. Identificamos três funções para as histórias de vida nesse processo: i)institucional; ii) de visibilidade e iii) pedagógica. Acreditamos que o trabalho contribui para a lacuna existente na articulação entre histórias de vida e teoria do reconhecimento e permite também examinar empiricamente um importante conflito social do Brasil e apontar implicações para o trabalho da Comissão Nacional da Verdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Veiga de Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais

Referências

DERANTY, Jean-Philippe. The morality of recognition. Leiden and Boston: Bril, 2009.
FRASER, N., HONNETH, A. Redistribution or Recognition? A political-Philosophical exchange. London/Nova York: Verso, 2003
FRASER, Nancy. Rethinking recognition. New Left Review (II) 3, p.107-120. 2000
HONNETH, Axel (1995). Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Ed. 34, SP: 2003 (versão em português)
MAIA, R. Recognition and the Media. London: Palgrave McMillan (no prelo)
MAIA, R.C.M. ; GARCÊZ, R. L. O papel do sentimento e da justificação nas lutas por reconhecimento dos surdos na internet. Artigo apresentado no XXI Encontro Anual da Compós, UFJF, 2012 a.
MAIA, R.C.M. ; GARCÊZ, R. L. Recognition, feelings of injustice and claim justification: a case study of deaf people’s storytelling on the internet. In: European Political Science Review, 2012b.
MENDONÇA, Ricardo Fabrino. Dimensão intersubjetiva da Auto-Realização: em defesa da teoria do reconhecimento. Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol.24, n.70, P. 143-187, 2009
POLLETA, F. Is Telling Stories Good for Democracy? Rhetoric in Public Deliberation after 9/11. American Sociological Review, 71 (5), p. 699-723, 2006.
POLLETTA, F. Contending Stories: Narrative in Social Movements. Qualitative Sociology 21, p. 419-446, 1998.
SCHINCARIOL, R.L.F.C. A Comissão da Verdade no Brasil. Trabalho apresentado no IV Seminario Politicas de la Memoria: Ampliación Del campo de los derechos humanos. Memórias y Perspectivas.2011
STEINER, Jurg. The foundations of deliberative democracy: empirical research and normative implications. Cambridge, MA: Cambridge University Press, 2012.

Downloads

Publicado

2015-01-27

Como Citar

VEIGA DE OLIVEIRA, V. Análise das audiências públicas da Comissão Nacional da Verdade: apontamentos sobre a articulação dos conceitos de história de vida, luta por reconhecimento e memória coletiva. Lumina, [S. l.], v. 8, n. 2, 2015. DOI: 10.34019/1981-4070.2014.v8.21149. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/21149. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Mídia e Ditadura Militar