Enunciações de gênero no forró eletrônico: uma análise das capas de cds da banda “Garota Safada”

Autores

  • Fábio Soares da Costa Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS
  • Janete de Páscoa Rodrigues Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.34019/1981-4070.2017.v11.21093

Palavras-chave:

enunciação, forró eletrônico, gênero.

Resumo

Este artigo apresenta algumas reflexões sobre os sentidos enunciados nas capas de toda a discografia (2003-2012), num total de 7 volumes, da banda de forró eletrônico Garota Safada. A opção teórico-metodológica é de uma análise discursiva com base na Análise do Discurso Crítica (ADC), a partir das contribuições de Fairclough (2001), Verón (2004) e Magalhães (2003), que objetivou identificar as representações e discursos de gênero e as estratégias discursivas construídas nessas capas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Soares da Costa, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS

Doutorando em Educação pelo PPGEUD da Escola de Humanidades da PUCRS. Mestre em Comunicação pelo PPGCOM/UFPI. Especialista em Supervisão Escolar pela UFRJ e Licenciado em Educação Física pela UFPI. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Questões Sociais na Escola. Professor do Curso de Educação Física da Faculdade do Médio Parnaíba - FAMEP e das secretarias de educação dos estados do Piauí e Maranhão.

Janete de Páscoa Rodrigues, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS. Profa. do PPGCOM - Mestrado em Comunicação da Universidade Federal do Piauí – UFPI. E-mail: janetepascoa@yahoo.com.br

Referências

ALBUQUERQUE JUNIOR, Durval Muniz de. A invenção do nordeste e outras artes. 4ª ed. Recife: FJN. Ed. Massangana. São Paulo: Cortez, 2009.
AUSTREGÉSILO, José Mário. Luiz Gonzaga: o homem, sua terra e sua luta. Recife: FASE Faculdade, 2012.
BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévsky. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.
BAKHTIN, M. M.; VOLOSHINOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico nas ciências da linguagem. 11 ed. São Paulo: Hucitec, 2004.
FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Editora UnB, 2001.
FAOUR, Rodrigo. História sexual da MPB: a evolução do amor e do sexo na canção brasileira. Rio de Janeiro: Record, 2006.
FARIA. Maria Vilma Santos de. Da nomeação ao caso único na clínica da toxicomania. In: Almanaque online. Ano 1, n. 1. jul.-dez. 2007.
FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 4.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.
MAGALHÃES, Francisco Laerte Juvêncio. Veja, isto é, leia: a imagem e a imagem nos discursos de capas das revistas Veja e Isto é; produção e disputas de sentido na mídia. Teresina: EDUFPI, 2003a. 158 p.
______. Fronteiras discursivas: cisões indivisas. In:Anais do INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação - XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – BH/MG – 2 a 6 Set. 2003b.
PÊCHEUX, Michel. Papel da memória. Tradução e introdução de José Horta Nunes. São Paulo: Pontes 1999, p. 49–56.
PINTO, Milton José. Comunicação e discurso: introdução à análise de discursos. São Paulo: Hacker, 1999. 123 p.
RIBEIRO, Manoel P. Feminismo, machismo e música popular brasileira. In: Revista Eletrônica do Instituto de Humanidades. Vol. V, n. XIX, p.73-83, out.-nov. 2006.
RANDAZZO, Sal. A Criação de mitos na publicidade: como publicitários usam o poder do mito e do simbolismo para criar marcas de sucesso. Rio de Janeiro: Racco, 1997.
SCOTT, Joan Wallach. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. In: Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, jul.-dez. 1995.
SIQUEIRA, Eules David de; SIQUEIRA, Denise da Costa Oliveira. Corpo, mito e imaginário nos postais das praias cariocas. In:Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. São Paulo, v.34, n.1, p. 169-187, jan.-jun. 2011.
STRATHERN, Marilyn. O gênero da dádiva. Campinas: Editora Unicamp, 2006.
TROTTA, Felipe. O Forró Eletrônico no Nordeste: um estudo de caso. In: Intexto, Porto Alegre: UFRGS, v. 1, n. 20, p. 102-116, jan.-jun. 2009.
______.Música popular, valor e identidade no forró eletrônico do Nordeste do Brasil. (2012). Disponível em:<http://lasa.international.pitt.edu/members/congress-papers/lasa2009/files/TrottaFelipe.pdf.>.Acesso em: 13 abr. 2017.
VERÓN, Eliseo. Fragmentos de um tecido. São Leopoldo-RS: Editora Unisinos, 2004.
VERUNSCHK, M. Nordestinidade: identidade e machismo no forró pé de serra e no forró eletrônico. In:Galaxia (Online), São Paulo, n. 29, p. 304-307, jun. 2015.

Downloads

Publicado

2017-04-30

Como Citar

COSTA, F. S. da; RODRIGUES, J. de P. Enunciações de gênero no forró eletrônico: uma análise das capas de cds da banda “Garota Safada”. Lumina, [S. l.], v. 11, n. 1, 2017. DOI: 10.34019/1981-4070.2017.v11.21093. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/lumina/article/view/21093. Acesso em: 2 mar. 2024.