“Adeus, verde esperança!”: integralismo e a morte de Plínio Salgado

  • Odilon Caldeira Neto

Resumo

O artigo analisa as disputas e estratégias políticas dos integralistas ao longo da ditadura civil-militar que teve início em 1964. A análise enfatiza, em particular, as relações entre os integralistas, a liderança de Plínio Salgado e os impactos da morte do líder integralista em 1975. A hipótese central levantada é que o absoluto respeito à liderança, assim como o culto à personalidade de Plínio Salgado, enfraqueceram as iniciativas relativamente autônomas dos integralistas, seja no contexto autoritário, bem como durante o processo de transição democrática.

Publicado
2019-08-05