O estatuto social do artista na sociedade colonial mineira

  • Raquel Quinet Pifano

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar estatuto da arte e do artista na sociedade mineira setecentista. Contudo, tal análise depende de uma complexa reflexão sobre o reconhecimento da subjetividade na colônia. A ascensão da arte à categoria de arte liberal, a partir do século XV na Europa, sobretudo Itália, é fruto do reconhecimento do sujeito em oposição ao objeto. Na colônia, o fazer artístico é igualado a qualquer outro fazer, considerado enfim atividade manual. Logo, artista e artesão permanecem sujeitos indistintos – o que diferencia o artista do artesão é justamente a atividade intelectual do primeiro.

 Arte colonial; estatuto social do artista; subjetividade

Como Citar
Pifano, R. Q. (1). O estatuto social do artista na sociedade colonial mineira. Locus - Revista De História, 4(2). Recuperado de https://periodicos.ufjf.br/index.php/locus/article/view/20472