Perspectivas sobre a morte em pacientes com doença renal crônica e seus cuidadores familiares: um olhar sobre a relação com a saúde mental e o suporte social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2023.v49.42105

Palavras-chave:

Insuficiência Renal Crônica, Morte, Luto, Saúde Mental, Apoio Social

Resumo

Introdução: A doença renal crônica (DRC) consiste em um contexto de diversas perdas para pacientes e cuidadores. Essa realidade corresponde a processos de elaboração de perdas e lutos com impactos sobre saúde mental de ambos. Objetivo: Avaliar as perspectivas sobre morte e correlacionar com aspectos de saúde mental e suporte social. Materiais e Métodos: Estudo transversal com 31 participantes, sendo 14 pacientes com doença renal crônica em diálise em um Hospital Universitário no interior de Minas Gerais, Brasil, e 17 familiares. Os instrumentos utilizados foram: questionário sociodemográfico e de saúde, o Questionário de Qualidade de Vida (SF-36); Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão (HADS), Escala de Percepção do Suporte Social (SPSS), Pictograma de Fadiga, Inventário de Sintomas de Estresse de Lipp (ISSL) e Escalas Breves de Perspectivas Sobre Morte. Para a análise estatística as variáveis foram descritas como média, desvio padrão, mediana ou frequência conforme sua característica. Foi realizada a correlação de Pearson ou Spearman, considerando p<0,05. O software estatístico SPSS 17.0. Resultados: Os pacientes eram 50% do sexo feminino com idade média de 54,71 (±15,96) anos e os cuidadores eram 70,58% do sexo feminino, com idade média de 50,82 (±14,88) anos. Na avaliação geral, houve uma associação negativa do domínio físico do SF-36 com a perspectiva de “morte como coragem” (r= -0,37, p= 0,04), uma associação positiva dos sintomas de ansiedade (r= 0,36, p= 0,04) e de depressão (r= 0,46, p= 0,01) com a perspectiva de morte como “sofrimento e solidão”. Nos pacientes, houve uma associação negativa entre o suporte social prático e a EBPM-1 (r= -0,719, p= ,006). Nos cuidadores, houve uma associação positiva entre as fases do estresse e a EBPM-1 (r= 0,48, p= 0,05). Conclusão: As perspectivas sobre a morte se relacionam com aspectos de saúde mental e suporte social em pacientes com DRC e cuidadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Rocha JSY. Manual de Saúde pública e saúde coletiva no Brasil. São Paulo: Atheneu; 2012.

Paim J, Travassos C, Almeida C, Bahia L, Macinko J. O sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios. The Lancet. 2011; 11-31. doi: 10.1016/S0140- 6736(11)60054-8

Alcade PR, Kirsztajn GM. Gastos do Sistema Único de Saúde brasileiro com doença renal crônica. Jornal Brasileiro de Nefrologia. 2018; 40(2):122-9. doi: 10.1590/2175-8239-JBN-3918

Sesso RC, Lopes AA, Thomé FS, Lugon JR, Martins CT. Inquérito brasileiro de diálise crônica 2016. Jornal Brasileiro de Nefrologia. 2017; 39(3):261-6. doi: 10.5935/0101-2800.20170049

Fráguas G, Soares SM, Silva PAB. A família no contexto do cuidado ao portador de nefropatia diabética: demandas e recursos. Esc Anna Revista de Enfermagem. 2008; 12(2):271-7. doi: 10.1590/S1414-81452008000200011

Bastos MG, Bregman R, Kirstzan GM. Doença renal crônica: frequente e grave, mas também tratável e prevenível. Revista Associação Médica Brasileira. 2010; 56(2):248-53. doi: 10.1590/S0104-42302010000200028

Jha V, Garcia-Garcia G, Iseki K, Li Z, Naicker S, Plattner B et al. Chronic Kidney disease: global dimensions and perspectives. The Lancet. 2013; 382:260-72. doi: 10.1016/S0140-6736(13)60687-x

Pereira BS, Fernandes NMS. Psicologia e nefrologia: teoria e prática. Novo Hamburgo: Sinopsys Editora; 2022.

Pereira BS, Fernandes NS, Melo NP, Abrita R, Grincenkov FRS, Fernandes NMS. Beyond quality of life: a cross sectional study on the mental health of patients with chronic kidney disease undergoing dialysis and their caregivers. Health and Quality of Life Outcomes. 2017; 15(74):1-10. doi: 10.1186/s12955-017-0646-4

Fráguas G, Soares SM, Silva PAB. A família no contexto do cuidado ao portador de nefropatia diabética: demandas e recursos. Esc Anna Revista de Enfermagem. 2008; 12(2):271-7. doi: 10.1590/S1414-81452008000200011

Encarnação JF, Farinasso ALC. A família e o paciente fora de possibilidades terapêuticas: uma revisão integrativa. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde. 2014; 35(1):137-48. doi: 10.5433/1679-0367.2014V35N1P137

Moreno V. Familiares de pacientes em hemodiálise: convivendo com condição crônica de saúde. Rev Rene Fortaleza. 2008; 9(4):49-56.

Duteau J. Understanding the lived experience of loss and grieving in persons with end stage renal disease: a humanbecoming approach. CANNT J. 2010; 20(2):18-22.

Winter DEA, Alves AG, Guido RCM, Gama MCFL, Teixeira TP, Milagres MV. Sobrevida e fatores de risco de mortalidade em pacientes sob hemodiálise. HU Rev. 2016; 42(4):267-75.

Levey AS, Eckardt KU, Tsukamoto Y, Levin A, Coresh J, Rossert J et al. Definition and Classification of Chronic Kidney Disease: a position statement from kidney disease: Improving Global Outcomes (KDIGO). Kidney International. 2005; 67(6):2089-100. doi: 10.1111/j.1523-1755.2005.00365.x

Solano JPC. Luto complicado (ou traumático ou patológico). In: Santos FS. Tratado brasileiro sobre perdas e luto. São Paulo: Atheneu; 2014. p. 113-6.

Cardoso HF, Baptista MN. Família e intergeracionalidade. In: Teodoro MLM, Baptista MN. Psicologia de família: teoria, avaliação e intervenção. Porto Alegre: Artmed; 2020. p. 4-14.

Poles K, Misko MD, Bousso RS. Das relações entre a boa comunicação e o processo normal de luto na família. In: Santos FS. Tratado brasileiro de perdas e luto. São Paulo: Atheneu Editora; 2014. p. 231-7.

Shapiro ER. Luto e Crescimento como processos familiares: perspectivas dos sistemas culturais e de desenvolvimento. In: Santos FS. Tratado brasileiro de perdas e luto. São Paulo: Atheneu Editora; 2014.

Marcolino JA, Mathias LA, Piccinini Filho L, Guaratini AA, Suzuki FM, Alli LA. Hospital Anxiety and Depression Scale: Study of Criterion Validity and Reliability with Preoperative Patients. Revista Brasileira de Anestesiologia. 2007; 57(1):52-62. doi: 10.1590/s0034-70942007000100006

Siqueira MMM. Construction and validation of the Social Support Perception Scale. Psicol Estud. 2008; 13(2):381-8. doi: 10.1590/S1413-73722008000200021

Mota DDCF, Pimenta CAM, Fitch MI. Fatigue Pictogram: an alternative to assess the intensity and impact of fatigue. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2009; 43(spe):1080-7. doi: 10.1590/S0080-62342009000500012

Lipp MEN. Lipp's handbook of stress symptoms for adults (ISSL). São Paulo: Casa do Psicólogo; 2014.

Conselho Federal de Psicologia (BR). Resolução n° 9, de 25 de abril de 2018. Estabelece diretrizes para a realização de Avaliação Psicológica no exercício profissional da psicóloga e do psicólogo, regulamenta o Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos - SATEPSI e revoga as Resoluções n° 002/2003, nº 006/2004 e n° 005/2012 e Notas Técnicas n° 01/2017 e 02/2017. 2008.

Cicconelli RM. Translation into Portuguese and validation of the generic quality of life assessment questionnaire “Medical Outcomes Study 36-item-short-form health survey (SF-36) [tese]. São Paulo: Univesidade de São Paulo; 1997.

Barros-Oliveira J, Neto F. Validação de um instrumento sobre diversas perspectivas sobre a morte. Análise Psicológica. 2004; 2(XXII):355-67.

Santos FS. Tanatologia: a ciência da educação para a vida. In: Santos FS. Cuidados paliativos: discutindo a vida, a morte e o morrer. São Paulo: Atheneu; 2009.

Santos FS. Perspectivas histórico-culturais da morte. In: Santos FS. Tratado brasileiro sobre perdas e luto. São Paulo: Atheneu; 2014. p. 11.

Ariès P. História da morte no ocidente: da idade média aos nossos dias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 2017.

Dalgalarrondo P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 2. ed. Porto Alegre: Artmed; 2008.

Brito DCS, Machado EL, Reis IA, Carmo LPF, Cherchiglia ML. Depression and anxiety amog patients undergoing dialysis and kidney transplantation: a cross-sectional study. São Paulo Medical Journal. 2019; 137(2):137-47. doi: 10.1590/1516-3180.2018.0272280119

Khan A, Khan AH, Adnan AS, Salaiman SAS, Mushtaq S. Prevalence and predictors of depression among hemodialysis patients: a prospective follow-up study. BMC Public Health. 2019; 19:531. doi: 10.1186/s12889-019-6796-z

Guenzani D, Buoli M, Carnevali GS, Serati M, Messa P, Vettoretti S. Is there an association between severity of illness and psychiatric symptoms in patients with chronic renal failure? Psychology, Health & Medicine. 2018; 23(8):970-9. doi: 10.1080/13548506.2018.1426868

Mok MMY, Liu CKM, Lam MF, Kwan LPY, Chan GCW, Ma MKM et al. A longitudinal study on the prevalence and risck factors for depressiona and anxiety, quality of life, and clinical outcomes in incidente peritoneal dialysis patients. Peritoneal Dialysis International, In Press. 2018; 39(1):2-9. doi: 10.3747/pdi.2017.00168

Georgianni G, Lianos E, Kouzoupis U, Polikandrioti M, Grapsa E. The role of sociodemographic factors in depressiona and anxiety os patients on hemodialysis: na observational corss-sectional study. International Urology and Nefrology. 2018; 50:143-54. doi: 10.1007/s11255-017-1738-0

Teles F, Albuquerque ALA, Lins IKFG, Medrado PC, Costa AFP. Quality of life and depression in haemodialysis patients. Psychol Health Med. 2018; 23(9):1069-78. doi: 10.1080/13548506.2018.1469779

Cirillo L, Cutruzzulà R, Somma C, Gregori M, Cestone G, Pizzarelli C et al. Depressive symptoms in dialysis: prevalence and relationship with uremia-related biochemical parameters. Blood Purif. 2018; 46(4):286-91. doi: 10.1159/000491014

Costa FG, Coutinho MPL. Síndrome depressiva: um estudo com pacientes e familiares no contexto da doença renal crônica. Estudos Interdisciplinares em Psicologia. 2016; 7(1):38-55. doi: 10.5433/2236-6407.2016v7n1p38

Straub RO. Psicologia da saúde: uma abordagem biopsicossocial. 3. ed. Porto Alegre: Artmed; 2014.

Rodrigues VB, Madeira M. Suporte social e saúde mental: revisão da literatura. Revista da Faculdade de Ciências da Saúde. 2009; 390-9.

Downloads

Publicado

2024-03-13

Como Citar

1.
Pereira B dos S, Kirchmaier FM, da Silva Fernandes N, Fernandes Suassuna L, da Silva Fernandes NM. Perspectivas sobre a morte em pacientes com doença renal crônica e seus cuidadores familiares: um olhar sobre a relação com a saúde mental e o suporte social. HU Rev [Internet]. 13º de março de 2024 [citado 18º de julho de 2024];49:1-10. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/42105

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)