Prevalência e fatores condicionantes do aleitamento materno exclusivo: contribuições para as políticas públicas

Autores

  • Thaiany Goulart de Souza e Silva 1Pós-Graduação em Biologia Celular, Departamento de Morfologia, Universidade Federal de Minas Gerais https://orcid.org/0000-0002-1068-0156
  • Kamilla de Lelis Souza Borges Faculdade de Nutrição. Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, Minas Gerais
  • Laysa Camila Bueno Faculdade de Nutrição, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, Minas Gerais https://orcid.org/0000-0002-4957-0480
  • Débora Vasconcelos Bastos Marques Faculdade de Nutrição, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, Minas Gerais https://orcid.org/0000-0003-1598-0075
  • Tábatta Renata Pereira de Brito Faculdade de Nutrição, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, Minas Gerais, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9466-2993
  • Daniela Braga Lima Faculdade de Nutrição, Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, Minas Gerais https://orcid.org/0000-0002-6755-9744

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2021.v47.35367

Palavras-chave:

Aleitamento Materno, Saúde da Criança, Ingestão de Alimentos, Nutrição do Lactente

Resumo

Introdução: O aleitamento materno é considerado um dos pilares fundamentais para a promoção e proteção de saúde das crianças. Objetivo: Avaliar a prevalência e fatores condicionantes do aleitamento materno nos primeiros seis meses de vida. Material e Métodos: O estudo caracteriza-se por ser do tipo descritivo, exploratório de corte transversal com abordagem quantitativa, realizado com 165 binômios mãe-bebê, assistidos em Unidades Básicas de Saúde. Utilizou-se um questionário estruturado para coleta das variáveis sociodemográficas, antropométricas das mães e dos lactentes. O estado nutricional dos lactentes foi classificado pelo indicador índice de massa corporal por idade e o diagnóstico do estado nutricional das mães pelo índice de massa corporal. O consumo alimentar do lactente foi analisado por meio de formulários de marcadores de consumo alimentar. Consideraram-se fatores condicionantes associados ao aleitamento materno exclusivo as variáveis que mantiveram p<0,05. Resultados: Observou-se que os fatores relacionados ao lactente, a idade e introdução precoce de outros alimentos se associaram como fatores de exposição responsáveis pelo aumento da ocorrência de interrupção do aleitamento materno exclusivo. No que se refere aos fatores de exposição relacionados à mãe, a escolaridade, a renda familiar e idade contribuíram significativamente para ocorrência de interrupção do aleitamento materno exclusivo. Conclusão: Os resultados evidenciam que a amamentação é suscetível a condições socioeconômica, fisiológicas e comportamentais. A maioria destes fatores condicionantes encontrados podem ser modificados por meio de políticas públicas de acompanhamento adequado durante todo o pré-natal, com ações de promoção do aleitamento materno exclusivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Victora CG, Horton S. Amamentação no século 21: epidemiologia, mecanismos, e efeitos ao longo da vida. Epidemiol Serv Saúde. 2016; 2:1-24.

Silva RAO, Ribeiro JLOA, Santos MR. A contribuição da educação infantil para a formação de bons hábitos alimentares na criança de 0 a 6 anos. Rev Ciências Humanas. 2019; 1(1):32.

Ministério da Saúde (BR). Guia alimentar para crianças brasileiras menores de 2 anos. Brasília: Ministério da Saúde; 2019.

Silva ALB, Conceição SIO. Fatores associados ao aleitamento materno exclusivo em crianças assistidas em unidades básicas de saúde. Rev Bras Pesq Saúde. 2018; 20(1):92-101.

Andrade HS, Pessoa RA, Donizete LCV. Fatores relacionados ao desmame precoce do aleitamento materno. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2018; 13(40):1-11.

Boccolini CS, Carvalho ML, Oliveira MI. Fatores associados ao aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida no Brasil: revisão sistemática. Rev Saúde Pública. 2015; 49:91.

Pereira-Santos M, Santana MS, Oliveira DS, Nepomuceno Filho RA, Lisbos CS, Almeida LMR, Gomes DR, Queiroz VAO, Demétrio F, Oliveira AM. Prevalência e fatores associados à interrupção precoce do aleitamento materno exclusivo: metanálise de estudos epidemiológicos brasileiros. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2017; 17(1):69-78.

Lima APC, Nascimento DS, Martins MMF. A prática do aleitamento materno e os fatores que levam ao desmame precoce: uma revisão integrativa. J. Health Biol Sci. 2018; 6(2):189-19.

Ferreira HLOC, Oliveira MFD, Bernardo EBR, Almeida PCD, Aquino PDS, Pinheiro AKB. Fatores associados à adesão ao aleitamento materno exclusivo. Cien Saude Colet. 2018. 23:683-90.

Universidade Federal do Rio de Janeiro (BR). Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil: ENANI-2019: resultados preliminares: indicadores de aleitamento materno no Brasil. 2020.

Ministério da Saúde (BR). Orientações para avaliação de marcadores de consumo alimentar na atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.

Ministério da Saúde (MS). Orientações para coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: norma técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN). Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

World Health Organization. Software for assessing growth and development of the world’s children. 2005. Available from: http://www.who.int/entity/childgrowth/software/anthro_pc_manual_v322.pdf

World Health Organization. Infant and young child feeding: a tool for assessing national practices, policies and programmes. Geneva: WHO; 2003.

Falsett CF, Santos IMM, Vasconcellos AM. Interfering Factors of the breastfeeding process in children bearing various health needs: contributions to nursing. Rev Fund Care Online. 2019; 11(5):1278-85.

Barbosa KIP, Conceição SIO. Fatores sociodemográficos maternos associados ao aleitamento materno exclusivo. Rev Cuid. 2020; 11(1):e811.

Alves JS, Oliveira MIC, Rito RVVF. Guidelines on breastfeeding in primary health care and association with exclusive breastfeeding (in Portuguese). Cien Saude Colet. 2018; 23(4):1077-88.

Margotti E, Margotti W. Fatores relacionados ao aleitamento materno exclusivo em bebês nascidos em hospital amigo da criança em uma capital do Norte brasileiro. Saúde em Debate. 2017; 41(114):860-71.

Mosqueiro OS, Lourenço BH, Gimeno SGA, Malta MB, Castro MC, Cardoso MA. Factors affecting exclusive breastfeeding in the first month of life among Amazonian childre. PLoSOne. 2019; 14(7):e0219801.

Santos LF, Borges RF, Zocche DAA. Telehealth and breastfeeding: an integrative review. Telemed J E Health. 2020; 26(7):837-46.

Santos MP, Gomes DR. Prevalência e fatores associados à interrupção precoce do aleitamento materno exclusivo : metanálise de estudos epidemiológicos brasileiros. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2017; 17(1):69-78.

Campos FKL, Rodrigues JC, Lima ACS, Caldas DRC, Simplicio APM, Landim LASR. Determining factors related to breastfeeding. Facema. 2016; 2(4):297-303.

Coimbra LC, Rieth NFA. Caracterização do aleitamento materno em São Luís, Maranhão. Rev Pesq Saúde. 2016; 17(1):7-12.

Gonçalves VSS, Silva SA, Andrade RCS, Spaniol AM, Nilson EAF, Moura IF. Marcadores de consumo alimentar e baixo peso em crianças menores de 6 meses acompanhadas no Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional, Brasil, 2015. Epidemiol Serv Saude. 2019; 28(2):e2018358.

Freitas LG de, Escobar R de S, Cortés MAP, Faustino-Silva DD. Consumo alimentar de crianças com um ano de vida num serviço de atenção primária em saúde. Rev Port Saude Publica. 2016; 34(1):46-52.

Downloads

Publicado

2021-12-13

Como Citar

1.
Goulart de Souza e Silva T, de Lelis Souza Borges K, Camila Bueno L, Vasconcelos Bastos Marques D, Renata Pereira de Brito T, Braga Lima D. Prevalência e fatores condicionantes do aleitamento materno exclusivo: contribuições para as políticas públicas. hu rev [Internet]. 13º de dezembro de 2021 [citado 21º de maio de 2022];47:1-8. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/35367

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.