Proposta de um protocolo de acolhimento em uma unidade básica de saúde: relato de experiência

Autores

  • Jamilly Coelho Teixeira Braga Universidade Federal do Ceará https://orcid.org/0000-0003-0056-9849
  • Layana Liss Rodrigues Ferreira Universidade Estadual Vale do Acaraú, Ceará
  • Milenna de Mesquita Braga Universidade Estadual Vale do Acaraú, Ceará
  • Ana Suelen Pedroza Cavalcante Universidade Estadual do Ceará
  • Florência Gamileira Nascimento Nascimento Universidade Estadual do Ceará, Ceará

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2021.v47.34133

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Acolhimento, Protocolos, Fluxo de Trabalho

Resumo

Introdução: O acolhimento com avaliação e classificação de risco é uma estratégia que visa oferecer maior eficiência além de garantir um acesso humanizado e equânime aos usuários do sistema de saúde. Objetivo: Relatar a experiência da elaboração de um fluxograma de acolhimento com classificação de risco para uma unidade básica de sáude. Relato da experiência: Trata-se de um relato de experiência descritivo referente às vivências de internas do curso de graduação em Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú em atividades desenvolvidas em um Centro de Saúde da Família de um município do interior do Ceará. A introdução de um protocolo para o acolhimento foi apoiada pela equipe, sendo considerada como intervenção relevante para a reestruturação da unidade. O protocolo elaborado prevê um acolhimento caracterizado por meio de uma escuta qualificada e humanizada, apto a oferecer uma resposta ao usuário, garantindo-lhe um atendimento humanizado e igualitário. Conclusão: A intervenção possibilitou aos estudantes a capacidade de pensar e arquitetar novas estratégias para colaborar e melhorar o processo de trabalho da equipe de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jamilly Coelho Teixeira Braga, Universidade Federal do Ceará

Nurse. Master's student in Family Health at UFC

Referências

Ministério da Saúde (BR). Política nacional de atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Matumoto S, Mishima SM, Fortuna CM, Pereira MJB, Almeida MCP. Preparando a relação de atendimento: ferramenta para o acolhimento em unidades de saúde. Rev Latino Am Enfermagem. 2009; 17(6):1001-8.

Teixeira RR. Acolhimento num serviço de saúde entendido como uma rede de conversações. In: Pinheiro R, Mattos RA. Construção da integralidade: cotidiano, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro: Cepesc; 2003:91-113.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Política nacional de humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Garlet ER, Lima MADS, Santos JLG, Marques GQ. Finalidade do trabalho em urgências e emergências. Rev Latino-Am Enfermagem. 2009; 17(4):535-40.

Santos AE. Humanização em serviços de emergência. In: Calil AM, Paranhos WY. O enfermeiro e as situações de emergência. São Paulo: Atheneu; 2010:139-48.

Hiestand B, Moseley M, MacWilliams B, Southwick J. The influence of emergency medical services transport on emergency severity index triagelevel for patientswith abdominal pain. Acad Emerg Med. 2011; 18(3):261-6.

Ministério da Saúde (BR). Humaniza SUS: acolhimento com avaliação e classificação de risco: um paradigma ético-estético no fazer em saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Leite MPS. Proposta de um acolhimento para unidade de atenção primária à saúde de Virgolândia, Minas Gerais [Trabalho de Conclusão de Curso] [Internet]. [citado em 2021 jul 10]. Virgolândia: 2009. Acesso. em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/4271.

Cavalcante ASP, Ribeiro MA, Tomás SMC, Vasconcelos MIO, Albuquerque IM AN, Mira QLM, Queiroz MVO. Círculos de cultura como ferramenta de construção de consenso: diálogos sobre avaliação de risco e vulnerabilidade. Rev Bras Pesq Saúde. 2016; 18(4):124-31.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Acolhimento e classificação de risco nos serviços de urgência. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Cardoso FC et al. Organização do processo de trabalho na atenção básica à saúde: planejamento e avaliação das ações em saúde. Belo Horizonte: Editora UFMG; 2008.

Ministério da Saúde (BR). Textos básicos de saúde: acolhimento nas práticas de pro dução de saúde. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Ministério da saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Acolhimento à demanda espontânea. Cadernos de Atenção Básica. 2013; 28(1).

Beck CLC, Minuzi D. O acolhimento como proposta de reorganização da assistência à saúde: uma análise bibliográfica. Saúde. 2008; 34(1-2):37-43.

Machado VA. Proposta de implantação dos protocolos de acolhimento do Ministério da Saúde no PSF Jardim Itamaraty III no município de Poços de Caldas/MG [Trabalho de conclusão de curso]. Campos Gerais: Universidade Federal de Minas Gerais; 2016.

Downloads

Publicado

2022-01-06

Como Citar

1.
Coelho Teixeira Braga J, Liss Rodrigues Ferreira L, de Mesquita Braga M, Pedroza Cavalcante AS, Nascimento FGN. Proposta de um protocolo de acolhimento em uma unidade básica de saúde: relato de experiência: . hu rev [Internet]. 6º de janeiro de 2022 [citado 28º de maio de 2022];47:1-6. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/34133

Edição

Seção

Relato de Experiência