Histiocitose de células de Langerhans: relato de um caso

  • Karina Camillozzi Nogueira Freire Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Lia Quintães Cardoso Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Paulo Bittencourt de Miranda Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Christiane Chambo Pignaton Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Cristiane Aparecida Mendes Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Thayla Baptista Campostrini Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória
Palavras-chave: Histiocitose, Histiocitose de células de Langerhans, Adulto, Antígenos CD1, Quimioterapia

Resumo

A histiocitose de células de Langerhans corresponde a um grupo heterogêneo de desordens caracterizadas pela proliferação monoclonal de células dendríticas. Predomina na infância e pode afetar qualquer órgão. Relata-se caso de paciente, sexo feminino, 44 anos, apresentando placas espessas, exsudativas, com escamas aderentes aos pelos, localizadas no couro cabeludo, semelhantes a dermatite seborreica, além de fístulas nas axilas, regiões inframamárias e inguinais de evolução há 16 anos. Realizou-se biópsia da lesão cutânea seguida de imunohistoquímica que concluiu diagnóstico de Histiocitose de células de Langerhans. Investigação sistêmica evidenciou acometimento pulmonar concomitante. Até o presente momento existem poucas publicações sobre envolvimento cutâneo em adultos, assim como não há protocolos de tratamento para os mesmos, necessitando maiores estudos para melhor manejo desses pacientes.

Referências

AFSAR, F.S. et al. Histiocitose de células de langerhans autolimitada e de início tardio: relato de uma entidade raríssima. Revista Paulista de Pediatria, v. 35, n. 1, p. 115-119, mar. 2017.

Azulay, R.D. et al. Azulay Dermatologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

Belda, JR.W.; Chiacchio N.; Criado, P.R. Tratado de Dermatologia. São Paulo: Atheneu, 2014.

Brito, M.D. et al. Histiocitose de Langerhans no Adulto: Experiência de Dois Hospitais Portugueses. Acta Médica Portuguesa, v. 27, n. 6, p. 726-730, jul. 2014.

CRICKX, E. et al. Clinical Spectrum, Quality of Life, BRAF Mutation Status and Treatment of Skin Involvement in Adult Langerhans Cell Histiocytosis. Acta Dermato-Venereologia, v. 97, p. 838–842, abr. 2017.

DUTRA, R.A. et al. Histiocitose de Células de Langerhans: um Diagnóstico Diferencial dos Tumores do Mediastino Anterior em Crianças. Revista Brasileira de Cancerologia, v. 60, n. 4, p. 331-336, nov. 2014.

GIRSCHIKOFSKY, M. et al. Management of adult patients with Langerhans cell histiocytosis: recommendations from an expert panel on behalf of Euro-Histio-Net. Orphanet Journal of Rare Diseases, v. 8, n. 72, may. 2013.

SCOLAROA, B.L.; PEREIRA, G.B.; OGATA, D.C.; CUNHA, F.S.P.F.V.; Effting, A.C.M.; Guanabara, R.O. Langerhans’ cell histiocytosis diagnosed due to dermatological perianal lesion. Journal of coloproctology, v. 37, n. 3, p. 242–246, mai. 2017.

TAZI, A.; LORILLON, G.; HAROCHE, J.; NEEL, A.; Dominique S.; Aouba A. et al. Vinblastine chemotherapy in adult patients with langerhans cell histiocytosis: a multicenter retrospective study. Orphanet Journal of Rare Diseases, v. 12, n. 95, mai. 2017.

TRIPODE, M.A.B.; SANTOS, N.V.I.; CORREA, S.P. Histiocitose de células de Langerhans em lactente - Relato de caso e revisão da literatura. Residência Pediátrica, v. 5, n. 2, p. 82-85, ago. 2015.

Publicado
2018-10-15
Como Citar
1.
Nogueira Freire KC, Cardoso LQ, de Miranda PB, Pignaton CC, Mendes CA, Campostrini TB. Histiocitose de células de Langerhans: relato de um caso. hu rev [Internet]. 15º de outubro de 2018 [citado 15º de agosto de 2020];43(3):301 -304. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2892
Seção
Relato de Caso