Desenvolvimento e estabilidade de formulação cosmética obtida com corante natural azul

  • Lucas Araújo Vieira Manoel Departamento de Bioquímica, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG
  • Patrícia Porto Departamento de Bioquímica, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG
  • Amanda Batalha Teixeira Departamento de Bioquímica, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG
  • Arthur Girardi Carpanez Departamento de Química, Instituto de Ciências Exatas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG
  • Richard Michael Grazul Departamento de Química, Instituto de Ciências Exatas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG
  • Ademar Alves da Silva Filho Departamento de Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Farmácia, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG
  • Priscila Faria Pinto Laboratório de Estrutura e Função de ProteínasDepartamento de Bioquímica Instituto de Ciências Biológicas - ICBUniversidade Federal de Juiz de Fora https://orcid.org/0000-0002-9011-2027
Palavras-chave: Corantes, Cosméticos, Arilos

Resumo

Introdução: Dentre os corantes de fontes naturais disponíveis no mercado, os mais comuns são aquelas capazes de conferir as cores vermelha, roxa, laranja e amarela, sendo a coloração azul relativamente escassa. A espécie Ravenala madagascariensis, também conhecida como árvore dos viajantes, é uma planta oriunda da Ilha de Madagascar, África do Sul, característica por sementes recobertas por arilos fibrosos de coloração azul intensa. Objetivo: Descrever uma metodologia capaz de extrair e incorporar os corantes azuis presentes nos arilos em uma formulação dermocosmética estável. Material e métodos: Foi realizado screening com distintos líquidos extratores para a obtenção do extrato dos arilos. O extrato em ciclometicone foi incorporado em preparações cosméticas empregando-se as bases Polawax® e Cold cream. Após a avaliação dos aspectos sensoriais, a formulação preparada com Polawax foi direcionada para avaliação de estabilidade acelerada (15 dias) de acordo com o protocolo definido pela ANVISA. Resultados: O melhor processo extrativo foi obtido pela utilização do ciclometicone, que é um excipiente compatível com o preparo de formulações cosméticas. O produto contendo 1% do extrato dos arilos em ciclometicone, incorporado à base Polawax, foi avaliado em relação às variáveis aspecto, cor (azul), odor, sensação ao tato e pH (5,5) e não apresentou alterações no ensaio de estabilidade acelerado. Conclusão: Com a metodologia apresentada, foi possível extrair e preparar uma formulação dermocosmética estável com nova proposta de corante azul, aplicável como excipiente para formulações.

Referências

Côrrea MA, Kurebayashi AK. Cosmetologia ciência e técnica. 1. ed. São Paulo: Medfarma; 2012.

Rocha DS, Reed E. Pigmentos naturais em alimentos e sua importância para a saúde. Revista EVS-Revista de Ciências Ambientais e Saúde. 2014; 41(1):76-85.

Newsome AG, Murphy BT, Van Breemen RB. Isolation and characterization of natural blue pigments from underexplored sources. Phys Meth Food Analysis. 2013; 1138:105-25.

Vikram N, Kewat RN, Singh RP, Singh and RP and Singh P: Natural Edible Colours and Flavours Used As Human Health. Int J Pharm Sci Res 2015; 6(11): 4622-28.

Schiozer AL, Barata LES. Estabilidade de corantes e pigmentos de origem vegetal. Revista Fitos. 2007; 3(2):6-24.

Downham A, Collins P. Colouring our foods in the last and next millennium. Int J Food Sci. 2000; 35(1):5-22.

Rakotoarivelo N, Razanatsima A, Rakotoarivony F, Rasoaviety L, Ramarosandratana AV, Jeannoda V et al. Ethnobotanical and economic value of Ravenala madagascariensis Sonn. Eastern Madagascar. J Ethnobiol Ethnomed. 2014; 10(1):57.

Priyadarsini SS, Vadivu R, & Jayshree, N. In vitro and In vivo antidiabetic activity of the leaves of Ravenala madagascariensis Sonn., on alloxan induced diabetic rats. J Pharm Sci Technol. 2010; 2(9):312-7.

Onifade AK, Fadipe DO, Bello MO. Antifungal and toxicological activities of compounds from traveller’s tree (Ravenala madagascariensis sonnerat). Afr. J. Clin. Exper. Microbiol. 2016; 17(2):102-9.

Carpanez AG. Análise das macromoléculas e origem do pigmento azul dos arilos de Ravenala madagascariensis (Strelitziaceae) [Dissertação]. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora; 2014.

Pirone C, Quirke JME, Priestap HA, Lee DW. Animal pigment bilirubin discovered in plants. J. Am. Chem. Soc. 2009; 131(8):2830.

Pirone C, Johnson JV, Quirke JME, Priestap HA, Lee D. Bilirubin present in diverse angiosperms. AoB Plants, 2010.

Gelaleti D, Galvão IS, Batista MML, Santos V, Felix M, Jardim M et al. Estabilidade de formulação dermocosmética contendo extrato de Pelargonium graveolens. Braz. J. Nat. Sci.. 2019; 2(1):16.

Santos ACF, Kalschne DL, Viegas MC, Vanini LS, Benassi MT, lonni AASG. Desenvolvimento de uma formulação cosmecêutica para região dos olhos com extrato padronizado de café verde. Visão Acadêmica. 2017; 18(3):18-34.

Casteli VC, Mendonça CC, de Campos MAL, Ferrari M, Machado SRP. Desenvolvimento e estudos de estabilidade preliminares de emulsões O/A contendo Cetoconazol 2,0%. Acta Scientiarum: Health Sciences. 2008; 30(2):121-8.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Guia de estabilidade de produtos cosméticos. Brasília: ANVISA; 2014.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Guia para avaliação da segurança de produtos cosméticos. Brasília: ANVISA; 2003.

Gonçalves JS, Henkes JA. Produção de cosméticos de forma mais sustentável. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental. 2016; 5(1):473-88.

Souza ASS, Barata AJTSS. Consumo consciente: ativismo, ética e a indústria de cosméticos verdes. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão; 2017; Curitiba.

Lojenga RK, Oliva MJ. Conservação e uso sustentável da biodiversidade: como garantir o envolvimento do setor privado? Pontes. 2018; 5(6):5-6.

Rowe RC, Sheskey P, Quinn M. Handbook of pharmaceutical excipients. Libros Digitales Pharmaceutical Press; 2009.

Silva TF, Bortolotto JW, Deuschle RAN, Claudino TS, Deuschle VCKN. Desenvolvimento e estudo de estabilidade físico-química de formulações cosméticas antienvelhecimento. Revista Contexto & Saúde. 2019; 19(36): 107-13.

Barbosa NP, Lopes GV, Moreira PDA, de Carvalho AA, Almeida CS. Avaliação da estabilidade, segurança, eficácia e aceitação do produto “creme protetor para a pele luva química grupo 3 regeneração”. Revista Processos Químicos. 2019; 13(25):117-32.

Nunes JAR, Bonilla SH, da Silva HRO, Bueno RE. Cadeia de suprimentos e as práticas sustentáveis: uma proposta para o setor cosmético. IJoPM. 2019; 9(2):118-36.

Publicado
2019-11-28
Como Citar
Araújo Vieira Manoel, L., Porto, P., Batalha Teixeira, A., Girardi Carpanez, A., Michael Grazul, R., Alves da Silva Filho, A., & Pinto, P. F. (2019). Desenvolvimento e estabilidade de formulação cosmética obtida com corante natural azul. HU Revista, 45(3), 254-260. https://doi.org/10.34019/1982-8047.2019.v45.28748