Prevalência e fatores associados à ocorrência de lesão por pressão em pacientes internados em unidade de terapia intensiva

  • Bárbara Gomes Gama Faculdade de Enfermagem, Universidade de Pernambuco, Petrolina/PE
  • Rachel Mola Departamento de Enfermagem, Universidade de Pernambuco, Petrolina/PE https://orcid.org/0000-0002-0180-2721
  • Flávia Emília Cavalcante Valença Fernandes Departamento de Enfermagem, Universidade de Pernambuco, Petrolina/PE
  • Saulo Bezerra Xavier Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)
Palavras-chave: Lesão por Pressão, Unidade de Terapia Intensiva, Protocolos, Fatores de Risco, Equipe de Enfermagem

Resumo

Introdução: A Unidade de Terapia Intensiva é o ambiente mais susceptível ao desenvolvimento de lesão por pressão devido ao estado crítico dos pacientes, representando campo importante para compreensão dos fatores desencadeantes deste evento a fim de preveni-lo. Objetivo: Avaliar a prevalência e os fatores associados ao surgimento de lesão por pressão em pacientes internados em uma unidade de terapia intensiva. Material e métodos: Estudo quantitativo, analítico e documental. Para a análise dos dados foi realizada estatística descritiva e inferencial. Os fatores associados foram analisados por meio da regressão logística binária. Adotou-se significância de 5% e confiança de 95%. Resultados: A amostra totalizou 566 prontuários de pacientes, sendo prevalente o sexo masculino, entre 20 e 39 anos de idade. Foi prevalente a ausência de lesão por pressão na admissão, como também o não desenvolvimento durante o internamento, embora a maioria dos pacientes apresentasse risco moderado para o desenvolvimento de lesão por pressão pela escala de Braden. Houve prevalência de 22,3% no surgimento de lesão por pressão, mesmo na existência do protocolo preventivo no setor. Os fatores associados ao surgimento de lesão por pressão foram a urgência/sala vermelha como setor de procedência (p=0,032) e o tempo de internamento igual ou superior a dez dias (p=0,029). Conclusão: Os resultados deste estudo evidenciaram prevalência relevante visto que a ocorrência de lesões por pressão é considerada um evento adverso relacionado ao internamento e a assistência prestada ao paciente crítico.

Biografia do Autor

Rachel Mola, Departamento de Enfermagem, Universidade de Pernambuco, Petrolina/PE

Doutora em Enfermagem (UPE/UEPB). Mestre em Hebiatria (UPE). Docente Adjunta do Colegiado de Enfermagem da Universidade de Pernambuco campus Petrolina.

Flávia Emília Cavalcante Valença Fernandes, Departamento de Enfermagem, Universidade de Pernambuco, Petrolina/PE

Doutora em Inovação Terapêutica (UFPE). Mestre em Gestão e Economia da Saúde (UFPE) Docente. Adjunta do Colegiado de Enfermagem da Universidade de Pernambuco campus Petrolina.

Saulo Bezerra Xavier, Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)

Mestre em Gestão e Economia da Saúde (UFPE). Enfermeiro Intensivista do Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF).

Referências

Santos LRO, Avelino FVSD, Luz MHBA, Cavalcante TB, Silva JLM, Santos CAP de S. Demographic and clinical characteristics of intensive therapy units patients with pressure ulcer. Rev Enferm UFPE online. 2016; 10(1):225–31. doi: 10.5205/reuol.7901-80479-1-SP.1001sup201605.

Benevides JL, Coutinho JFV, Tomé MABF, Gubert F do A, Silva TB de C e, Oliveira SKP de. Nursing strategies for the prevention of pressure ulcers in intensive therapy: integrative review. Rev Enferm UFPE online [internet]. 2017; 11(5):1943–52.

Soares CF, Heidemann ITSB. Health promotion and prevention of pressure injury: expectations of primary health care nurses. Texto e Contexto Enferm. 2018 [Acesso em 19 abr 2018]; 27(2):1–9. doi: 10.1590/0104-070720180001630016.

National Pressure Ulcer Advisory Panel. Prevention and treatment of pressure ulcers: quick reference guide [internet]. 2014 [Acesso em 02 dez 2019]. Disponível em: https://www.epuap.org/wp-content/uploads/2016/10/portuguese-quick-reference-guide-jan2016.pdf.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (BR). Práticas seguras para prevenção de Lesão por Pressão em serviços de saúde. [internet]. Brasília: 2017 [Acesso em 03 abr 2018]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271855/Nota+T%C3%A9cnica+GVIMS-GGTES+n%C2%BA+03-2017/54ec39f6-84e0-4cdb-a241-31491ac6e03e.

Lima AFC, Castilho V, Baptista CMC, Rogenski NMB, Rogenski KE. Direct cost of dressings for pressure ulcers in hospitalized patients. Rev Bras Enferm [internet]. 2016; 69(2):290–7. doi: 10.1590/0034-7167.2016690212i.

Costa AEK, Machado FS, Pissaia LF, Beschorner CE, Moreschi C. Perspectiva do enfermeiro frente à assistência no tratamento de feridas em ambiente hospitalar. Rev Epidemiol Control Infec [internet]. 2017; 7(3): 134-139. doi: 10.17058/reci.v7i3.8920.

COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN nº 567/2018. Regulamenta a atuação da equipe de enfermagem no cuidado aos pacientes com feridas [internet]. Brasília: 2018 [Acesso em 02 dez 2019]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofenno-567-2018_60340.html.

Ministério da Saúde (BR). Gabinete do Ministro. Portaria nº 529 de 1 de abril de 2013. Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente [internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2013 [Acesso em 02 dez 2019]. Disponível em: http://www.saude.mt.gov.br/upload/controle-infeccoes/pasta2/portaria-msgm-n-529-de-01-04-2013.pdf.

Barbosa TP, Beccaria LM, Poletti NAA. Pressure ulcer risk assessment in intensive care unit: preventive nursing care. Rev Enferm UERJ. 2014; 22(3):353–8.

Valles JHH, Monsiváis MGM, Guzmán MGI, Arreola LV. Cuidado de enfermagem omitido em pacientes com risco ou com úlceras por pressão. Rev Lat Am Enfermagem [internet]. 2016; 24(0):2817–25. doi: 10.1590/1518-8345.1462.2817.

Mazzo A, Miranda FBG, Meska MHG, Bianchini A, Bernardes RM, Pereira Junior GA. Teaching of pressure injury prevention and treatment using simulation. Esc Anna Nery [internet]. 2017; 22(1):1–8. doi: 10.1590/2177-9465-EAN-2017-0182.

Sousa RG de, Oliveira TL de, Lima LR de, Stival MM. Factors associated with ulcer pressure (UPP) in critical patients: integrative literature review. Univ Ciências da Saúde [internet]. 2016; 14(1):77–84. doi: 10.5102/ucs.v14i1.3602

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem [internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2008 [Acesso em 03 mar 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_atencao_homem.pdf.

França JRG, Sousa BVN, Jesus VS de. Nursing Care in the Prevention of Pressure Injuries in Intensive Care Units: a Systematic Review. Rev Bras Saúde Func. 2016; 1(3):16–31.

Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco. Nossa história/HU-UNIVASF. [internet]. 2015 [Acesso em 15 abr 2019]. Disponível em: http://www2.ebserh.gov.br/web/hu-univasf/nossa-historia.

Costa HGF, Silva RM, Korinfsky JP, Souza DMOR de, Costa G de S, Silva TFA da. Space analysis of transit accidents attended at the emergency of a university hospitaL. Rev Enferm UFPE online. 2017; 11(6):2500–9. doi: 10.5205/reuol.9799-86079-1-RV.1106sup201703.

Matozinhos FP, Velasquez-Melendez G, Tiensoli SD, Moreira AD, Gomes FSL. Factors associated with the incidence of pressure ulcer during hospital stay. Rev da Esc Enferm da USP [internet]. 2017; 51:1–7. doi: 10.1590/S1980-220X2016015803223.

Menoita E, Santos V, Santos AS. Skin in the elderly. J Aging Innov. 2013; 2(1):18–33.

Holanda OQ de, Oliveira VA, Fernandes FECV, Xavier SB, Mola R. Efetividade do protocolo para prevenção de lesões por pressão implantado em Unidade de Terapia Intensiva. Rev Espaço para a saúde. 2018; 19(2):64–74. doi: 10.22421/15177130-2018v19n2p64.

Borghardt AT, Prado TN do, Bicudo SDS, Castro DS de, Bringuente ME de O. Pressure ulcers in critically ill patients: incidence and associated factors. Rev Bras Enferm [internet]. 2016; 69(3):460–7. doi: 10.1590/0034-7167.2016690307i.

Azambuja CRC de. Importância das medidas de gestão no controle da superlotação hospitalar [dissertação]. Cachoeira do Sul (RS): Universidade Federal de Santa Maria, 2014.

Paixão DP da SS da, Batista J, Maziero ECS, Alpendre FT, Amaya MR, Cruz ED de A. Adhesion to patient safety protocols in emergency care units. Rev Bras Enferm [internet]. 2018; 71(1):577–84. doi: 10.1590/0034-7167-2017-0504.

Pereira MO, Ludvich SC, Omizzolo JAE. Patient Safety: Pressure ulcer prevention in intensive care unit. Rev Inova Saúde. 2016; 5(2):29–44.

Publicado
2020-05-19
Como Citar
1.
Gomes Gama B, Mola R, Emília Cavalcante Valença Fernandes F, Bezerra Xavier S. Prevalência e fatores associados à ocorrência de lesão por pressão em pacientes internados em unidade de terapia intensiva. hu rev [Internet]. 19º de maio de 2020 [citado 14º de agosto de 2020];460:1-. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/28248
Seção
Artigos Originais