AS RELAÇÕES DE PODER NO TRABALHO INFORMAL DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS E OS CIRCUITOS DA ECONOMIA FLUMINENSE

Resumo

A principal característica do Sistema Capitalista de Produção é a sua constituição social através de classes, baseadas na posse ou na ausência de capital acumulado e propriedade privada. A presente proposta concentra-se em compreender de que modo a organização da Rede de Reciclagem do Estado do Rio de Janeiro (RRERJ) institui a relação entre o trabalho de catadores de materiais recicláveis não-cooperados e outros sujeitos componentes desta Rede, no acúmulo de capital e na manutenção da Indústria da Reciclagem. Segundo Corrêa (1997), o conceito de ‘rede’ pode ser compreendido a partir de ‘nós’ e ‘teias’ em que; os ‘nós’ são materialidades resultantes das relações sociais (e de comunicação) e as teias são linhas de comunicação entre tais nós, estabelecidas de maneira multiescalar e em um período de duração (efêmero ou duradouro).

Biografia do Autor

Uilmer Rodrigues Xavier da Cruz, Universidade Federal de Minas Gerais/ Discente de doutorado em Geografia

Doutorando em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Mestre em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) (2019), Graduação em Geografia - Ênfase em Sistemas de Informações Geográficas pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) (2008). Interesse de investigação: Rede de reciclagem, cadeia globais, circuitos da economia urbana, produção social do trabalho, narrativas do poder e espaço, políticas públicas de coleta seletiva, gestão integrada de resíduos sólidos, tecnologias sociais para gestão integrada de resíduos sólidos. Responsável por implantar o software CATAsig, PLACAR DA RECICLAGEM e por ministrar cursos, palestras, capacitações em várias cooperativas de catadores no estado da Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. E-mail: uilmer@ufmg.br.

Publicado
2020-08-06
Seção
Artigos