A PRODUÇÃO DO ESPAÇO AGRÁRIO E LUTA PELA TERRA NO BRASIL: UM OLHAR SOBRE O ASSENTAMENTO MOCAMBO, EM BARRA DO CHOÇA-BA

Resumo

Este artigo faz uma discussão sobre a produção do espaço agrário no Brasil, tendo como estudo de caso o Assentamento Mocambo, em Barra do Choça (BA), ligado ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). Desenvolvido com base no método dialético, o estudo é voltado ao debate da democratização da terra, via reforma agrária, que se contrapõe aos preceitos básicos das ações do capitalismo no campo. Busca-se, também, apresentar a relação espaço-tempo na constituição do assentamento, que foi criado em 1996 e cujas famílias permanecem no processo de reprodução da vida, por meio do trabalho realizado na terra. A discussão é ampliada com entrevista com assentados, cujos nomes, por ética, serão preservados neste trabalho. Destaca-se a importância de os movimentos sociais pautarem suas ações no processo de conscientização da realidade desigual e combinada na qual o campo se reproduz, assim como as contradições no processo de produção e apropriação da riqueza socialmente produzida, em que a propriedade privada sobre a terra e a expropriação histórica da classe camponesa adquire todo o sentido no processo de intensificação da luta de classes. A luta pela terra, da qual resultou o assentamento Mocambo e outros tantos assentamentos no país, pode ser vista como parte dessa realidade.

Biografia do Autor

Rozymario Bittencourt Fagundes, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB
Graduado em 2007 em Comunicação Social pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), é repórter do jornal Correio (Salvador) e colaborador do jornal Folha de S. Paulo, UOL e BBC Brasil. Finalista do 3º Prêmio de Periodismo Económico Iberoamericano 2013, com reportagem sobre energia eólica publicada no jornal Folha de S.Paulo; especialista em Comunicação e Marketing em Redes Sociais e em Análise do Espaço Geográfico; dez anos de experiência como repórter de meios estaduais e nacionais, com foco em administração pública, economia, agricultura e meio ambiente.
Publicado
2019-12-13
Seção
Artigos