FATORES GEOGRÁFICOS E DE GESTÃO MUNICIPAL RELACIONADOS COM A OCORRÊNCIA DE ENXURRADAS OU INUNDAÇÕES NOS MUNICÍPIOS MINEIROS

  • Ricardo Augusto Ferreira Quadros Universidade Federal Fluminense, Rua Tiradentes, 17 - Ingá - Faculdade de Direito II - Anexo 2º andar conjunto 26 - CEP 24210-510 - Niterói, RJ - Brasil
  • José Rodrigo de Moraes Universidade Federal Fluminense, Rua Tiradentes, 17 - Ingá - Faculdade de Direito II - Anexo 2º andar conjunto 26 - CEP 24210-510 - Niterói, RJ - Brasil

Resumo

O desenvolvimento urbano brasileiro estimulou um conflito entre sistemas ambientais e sociais, fato que favoreceu as pessoas a construírem suas moradias em áreas sujeitas a enxurradas e inundações bruscas. Este trabalho buscou, usando modelos de regressão logística, analisar os diferenciais na chance dos municípios mineiros serem atingidos por enxurradas ou inundações bruscas entre as seis regiões do Estado de Minas Gerais, definidas pela articulação operacional dos Comandos Operacionais de Bombeiros, do Corpo de Bombeiro Militar de Minas Gerais. Os dados utilizados neste trabalho são provenientes da MUNIC 2013. Observou-se que os municípios mineiros que apresentam maior chance de serem atingidos por enxurradas ou inundações bruscas são os que possuem mais de 20.000 habitantes e os que se encontram na região do 5º COB (Vale do Jequitinhonha/Mucuri e Rio Doce). Faz-se necessário estimular de forma organizada a cultura de prevenção e percepção de risco da população residente nas grandes cidades mineiras, devendo o governo investir principalmente nas fases de prevenção e mitigação, além de considerar a população como um agente ativo de todo esse processo.

Palavras-chave: Enxurradas, Inundações Bruscas, Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil e Modelo logístico.

Biografia do Autor

Ricardo Augusto Ferreira Quadros, Universidade Federal Fluminense, Rua Tiradentes, 17 - Ingá - Faculdade de Direito II - Anexo 2º andar conjunto 26 - CEP 24210-510 - Niterói, RJ - Brasil
Mestrando em Defesa e Segurança Civil pela Universidade Federal Fluminense, graduação em Curso de Formação de Oficiais Bombeiro Militar pela Academia de Polícia Militar de Minas Gerais (2011), graduação em Fisioterapia pela UNIFENAS (2007) e especialização em Fisioterapia Traumato-ortopédica UNIFENAS (2009). Atualmente sou Oficial do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. Com experiência na área de Defesa, com ênfase em Defesa Civil, Ciência Militares, Gestão e Gerenciamento de Acidentes e Desastres.
José Rodrigo de Moraes, Universidade Federal Fluminense, Rua Tiradentes, 17 - Ingá - Faculdade de Direito II - Anexo 2º andar conjunto 26 - CEP 24210-510 - Niterói, RJ - Brasil
Doutorado em Saúde Coletiva no Instituto de Estudos em Saúde Coletiva (IESC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na linha de pesquisa "Desenvolvimento de Métodos Estatísticos, Epidemiológicos e Computacionais em Saúde". Professor Adjunto III do Departamento de Estatística (GET) e Professor do Programa de Pós-graduação (Mestrado) em Defesa e Segurança Civil da UFF.
Publicado
2018-11-29
Seção
Artigos