CONSIDERAÇÕES SOBRE O ENSINO DE TEORIA E GEOGRAFIA NAS FACULDADES DE ARQUITETURA E URBANISMO

  • Joel Outtes

Resumo

O ensaio discute como deve ser o ensino das disciplinas de teoria nas Faculdades de Arquitetura e Urbanismo arguindo e defendendo que para além de ensinar metodologia do projeto arquitetônico e/ou do desenho urbano e/ou do planejamento físico espacial, a teoria deve ser ensinada para entender, explicar e transformar através da ação política o espaço, o bairro, a cidade, a região e o mundo. De propostas de ensino que não correspondiam às ementas se caminhou em direção à introdução de textos realmente teóricos, objetivo das disciplinas, ensinando-se não apenas metodologia do desenho urbano, tema cabível, mas também se avançando em direção à relação dialética entre fatores globais (economia, sociedade, cultura, política, demografia, tecnologia, meio ambiente) e produção do espaço. Isto é abordado no contexto da geografia histórica do capitalismo e de suas crises através dos ciclos de Kondratieff, empoderando o estudante a compreender o processo histórico-geográfico de produção do espaço, cidade e região, assim como a possibilidade de sua transformação através da prática política, em um movimento de constituição da cidadania. O argumento é exemplificado através da experiência de estruturação de duas disciplinas teóricas no curso de Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal do Rio Grande do Sul nos últimos dez anos: Práticas Sociais na Arquitetura e no Urbanismo no segundo semestre e Teorias sobre o Espaço Urbano no quinto semestre letivo

Publicado
2017-02-10