Sobre a tênue fronteira entre os espaços público e privado

Autores

  • Aline Ramos Fundação Getúlio Vargas

Palavras-chave:

cidade, identidade, memória

Resumo

O presente artigo visa rascunhar uma discussão quanto à dinâmica homem – espaço público e privado, a fim de demonstrar o quão intrínseco tal fato é para formação da psique, mais perceptível sob a forma de identidade e memória, ambas individuais, mas igualmente coletivas. Para isso, são trazidos em diálogo autores que se debruçam sobre a temática, estabelecendo-se, ao final, questionamentos quanto às relações possíveis no contexto da pandemia de Sars-CoV-2. Os espaços públicos refletem a visão do homem sobre si mesmo e quanto ao outro, sendo que o tratamento da esfera pública se restringe ao longo dos séculos, levando a supervalorização do privado, da intimidade e de um eu-narcísico, solitário e individualista. Objetividade com o outro e subjetividade consigo mesmo, isolamento social, uso da internet e manifestações são pertinentes para análise do corpo re(inserido) no urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.

BARTUCCI, Giovanna (org). Psicanálise, Arte e Estéticas de Subjetivação. Rio de Janeiro: IMACO, 2002.

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire: um lírico no auge do capitalismo. Obras Escolhidas. Volume III. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

BENJAMIN, W. Passagens. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

BERGER, Peter L.; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade: Tratado de Sociologia do Conhecimento. Petrópolis: Editora Vozes, 2004.

BYINGTON, Carlos. O conceito de identidade individual e coletiva na dimensão simbólica. A identidade ôntica (eu-outro) e a sua inter-relação com a identidade ontológica ou identidade do self. In: BASSIT, Ana Zahira; CIAMPA, Antônio da Costa; COSTA, Márcia Regina da. (org.) Identidade: teoria e pesquisa. São Paulo: EDUC. Editora da Puc/SP, 1985.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. O poder do corpo no espaço público: o urbano como privação e o direito à cidade. GEOUSP – Espaço e Tempo. São Paulo v. 18 n. 2 p. 472-486, 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/89588. Acesso em: 26 set. 2021.

CARROL, Lewis. Aventuras de Alice no país das maravilhas / Através do espelho e o que Alice encontrou lá. São Paulo: Summus, 1980.

DEBORD, Guy; ABREU, Estela dos Santos. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

DIAS, Paulo Eduardo. Estátua do Borba Gato tem escolta policial permanente desde incêndio. Folha de São Paulo. São Paulo, 23 set. 2021. Disponível em: https://agora.folha.uol.com.br/sao-paulo/2021/09/estatua-de-borba-gato-tem-escolta-policial-permanente-desde-incendio.shtml. Acesso em: 27 set. 2021.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

HISSA, Cássio E. Viana; NOGUEIRA, Maria Luísa Magalhães. Cidade-Corpo. Revista UFMG, Belo Horizonte, v. 20, n. 1, p. 54-77, jan./jun. 2013. p.76. Disponível em: https://www.ufmg.br/revistaufmg/downloads/20/3-cidade-corpo_cassio_hissa_e_maria_nogueira.pdf. Acesso em: 25 set. 2021.

JACQUES, Paola Berenstein (org). Apologia da Deriva: escritos situacionistas sobre a cidade/ Internacional Situacionista. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003.

MUSZKAT, Malvina. Consciência e identidade. São Paulo: Editora Ática, 1986.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História: revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, n. 10, p. 7-28, dez. 1993. Disponível em http://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/12101/8763. Acesso em: 17 jun. 2021.

OHANA, Victor; SILVA, Camila da. Caso Borba Gato: o que fazer com a homenagem a figuras históricas condenáveis? Carta Capital. São Paulo, 5 ago. 2021. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/sociedade/caso-borba-gato-o-que-fazer-com-a-homenagem-a-figuras-historicas-condenaveis/. Acesso em: 27 set. 2021.

PAESE, Celma. Caminhando: o caminhar e a cidade. Orientador: Dr. Fernando Delfino de Freitas Fuão. 2006, 173 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/8777. Acesso em: 10 ago. 2019.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. O imaginário da cidade. Porto Alegre: Ed. Universidade/ UFRGS, 1999.

SANTOS, Richard. Maioria Minorizada: um dispositivo analítico de racialidade. Rio de Janeiro: Editora Telha, 2020.

SCHEIBE, Karl E. Identidade e Memória. In: BASSIT, Ana Zahira; CIAMPA, Antônio da Costa; COSTA, Márcia Regina da. (org.). Identidade: teoria e pesquisa. São Paulo: EDUC. Editora da Puc/SP, 1985.

SENNETT, Richard. O declínio do homem público: as tiranias da intimidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SENNETT, Richard. Vida urbana e identidad personal. Barcelona: Homo Sociologicus – Ediciones Península, 1975.

SERPA, Angelo. Ser lugar e ser território como experiências do ser-no-mundo: um exercício de existencialismo geográfico. Geousp – Espaço e Tempo (Online), v. 21, n. 2, p. 586-600, agosto. 2017. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/125427. Acesso em: 27 jul. 2021.

SIMMEL, Georg. A metrópole e a vida mental. In: VELHO, Otávio Guilherme (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1967. p. 13-28.

Downloads

Publicado

2022-05-30

Como Citar

(1)
Ramos, A. Sobre a Tênue Fronteira Entre Os espaços Público E Privado. FDC 2022, 8, 158-179.