Insurreição praieira na cidade de Areia-PB

cooperação dos comandantes da guarda nacional e elites locais

Autores

  • Lidiana Emidio Justo da Costa UFPE

Palavras-chave:

Guarda Nacional; Paraíba; Revolta Praieira; Elites locais; Liberais e Conservadores.

Resumo

A insurreição Praieira, ocorrida em 1848, foi a última dos ciclos das revoltas liberais que ocorreram no Império brasileiro. Neste artigo faremos uma reflexão sobre a participação e apoio aos rebelados vindos de Pernambuco, por parte de integrantes da elite local da cidade de Areia, na província da Paraíba, especialmente os oficiais/comandantes da Guarda Nacional. Muitos desses personagens eram adeptos do Partido Liberal. O que se pode perceber é que, as querelas que dividiam Liberais e Conservadores em Pernambuco, foram sentidas na província paraibana, cabendo ao então presidente bacharel João Antonio de Vasconcellos a tarefa de reprimir os revoltosos. Coincidentemente, dois anos após a insurreição, a Guarda foi reformulada pela Lei n. 609 de 19 de setembro de 1850 que intuiu exercer um maior controle sobre os postos na instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Adilson José de. Sociedade Armada: os senhores e seus homens na Revolta Liberal de 1842. XXVII SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA-ANPUH, Rio Grande do Norte, 22 a 26 de julho, 2013. Disponível em: http://www.snh2013.anpuh.org/resources/anais/27/1364924724_ARQUIVO_SociedadeArmadaOssenhoreseseushomensnaRevoltaLiberalde1842.pdf. Acesso: 16 de fev. 2021.

ALMEIDA, Horácio de. História da Paraíba. vol. 2. João Pessoa: UFPB, 1978.

ALMEIDA, José Américo de. Memórias antes que me esqueça. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves. 1976.

BARBOSA, Socorro de Fátima Pacífico. Pequeno Dicionário dos Escritores/Jornalistas da Paraíba no século XIX: de Antonio da Foseca a Assis Chateubriand. João Pessoa: UFPB, 2009.

BASILE, Marcello. “O Laboratório da Nação: a era regencial (1831-1840)”. In: GRINBERG, Keila e SALLES, Ricardo. (orgs.). O Brasil Imperial (1808-1831). Vol. II, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009. p. 53-120.

BRASIL, Leis e Decretos. Lei n. 602 de 19 de setembro de 1850. In: Colleção de Leis do Império. Rio de Janeiro. Imprensa Nacional, 1909. p. 237-259.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial. Teatro das sombras: a política imperial. 5ª Edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

CARVALHO, Marcus Joaquim Maciel de. Os nomes da Revolução: lideranças populares na Insurreição Praieira, Recife, 1848-1849. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 23, n. 45, 2003, p. 171.

CARVALHO. Marcus Joaquim Maciel de; CÂMARA, Bruno Augusto Dornelas. Insurreição Praieira. Almanack Braziliense, n.8, nov. 2008. p.1-38. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.1808-8139.v0i8p5-38. Acesso: 16 de fev. 2021.

CASTRO, Jeanne Berrance de. A milícia cidadoa: A Guarda Nacional de 1831 a 1850. São Paulo: Ed. Nacional, 1977.

COSTA, Lidiana Justo da. Cidadão do Império, Alerta! A Guarda Nacional na Paraíba oitocentista (1831-1850). Dissertação (Mestrado em História). João Pessoa: UFPB, 2013.

COSTA, Lidiana Justo da Costa. O cotidiano de oficiais ditos “rebeldes” na Guarda Nacional da Paraíba (1834-1849). Revista Fênix. vol 11, ano XI, n.1, jan-jun 2014. p. 1-19. Disponível em: https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/545/517. Acesso: 16 de fev. 2021.

ESPÍNOLA, André Felipe de Albuquerque; MELO, José Hélio Oliveira de. A fina flor da Paraíba Imperial: as relações entre a elite política e econômica da província da Paraíba entre 1848 a 1855. XVII Encontro Estadual de História – ANPUH-PB. v. 17, n. 1, 2016. p. 409-418. Disponível em: http://www.ufpb.br/evento/index.php/xviieeh/xviieeh/paper/viewFile/3279/2706. Acesso: 16 de fev. 2021.

FIÚZA, Alexandre Felipe. Rebelião Praieira: um estudo em Areia-PB. Revista de História Regional, 7 (2), 2002, p. 33-49. Disponível: http://www.precog.com.br/bc-texto/obras/pg000107.pdf. Acesso: 16 de fev. 2021.

GRAHAM, Richard. Clientelismo e Política no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.

LEITÃO, Deusdedit. Bacharéis Paraibanos pela Faculdade de Olinda (1832-1853). João Pessoa: União, 1978.

LEWIN, Linda. Política e Parentela na Paraíba: um estudo de caso de uma oligarquia de base familiar. Rio de Janeiro: Record, 1993.

MACHADO, Maximiano Lopes. Quadro da Revolta Praieira na Parahyba. 2 ed. João Pessoa: UFPB, (1983 [1851]).

MARIANO, Serioja R. C. Culturas políticas, administração e redes familiares na Paraíba (1825-1840). SÆculum - Revista de História [24]; João Pessoa, jan./ jun. 2011. p. 11-24. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/srh/article/view/12432. Acesso: 16 de fev. 2021.

MARIZ, Celso. Memórias da Assembleia Legislativa. João Pessoa: União, 1987. [fac-similar].

MATTOS, Ilmar de. O Tempo Saquarema. 5 ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

MELLO, José Octávio de Arruda. História da Paraíba. 10 ed. João Pessoa: A União, 2001.

PRIORE, Mary Del. Ao Sul do Corpo: condição feminina, maternidade e mentalidades no Brasil Colônia. 2 ed. São Paulo: Unesp, 2009.

ROSAS, Suzani Cavani. Da “Constituinte Soberana” a “Conciliação política sobre as bases das reformas”: o Partido Liberal em Pernambuco e o Gabinete Paraná de 1853. Revista História. (São Paulo), n. 170, jan.-jun., 2014. p. 291-316. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rh/n170/0034-8309-rh-170-00291.pdf. Acesso 16. de fev. 2021.

SOUZA, Valéria Cristina R. de. A “Revolução de 1842”. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em História). Mariana: UFOP, 2006. Disponível: https://lph.ichs.ufop.br/sites/default/files/lph/files/170_valeria_cristina_rodrigues_de_souza_-_a_22revolucao22_de_1842.pdf?m=1525724406. Acesso: 16 de fev. 2021.

VARGAS, Jonas Moreira. “Magistrados Imperiais”: atuação política e perfil de formação e carreira dos juízes de direito no Rio Grande do Sul (1833-1889). CLIO: Revista de Pesquisa Histórica. n°. 34.1(2016). Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaclio/article/view/25028. Acesso: 16 de fev. 2021.

SALDANHA, Flávio Henrique Dias. Os Oficiais do Povo: a Guarda Nacional em Minas Gerais Oitocentista (1831-1850). Annablume: Fapesp, 2006.

Downloads

Publicado

2021-11-25

Como Citar

(1)
Justo da Costa, L. E. Insurreição Praieira Na Cidade De Areia-PB: Cooperação Dos Comandantes Da Guarda Nacional E Elites Locais. FDC 2021, 7, 111-138.