Entre a cruz e a esquadra

Os capelães da Armada Imperial Brasileira na Guerra da Tríplice Aliança contra o Governo do Paraguai

Autores

  • Sergio Willian de Castro Oliveira Filho Doutor em História Cultural pela UNICAMP. Professor da Escola de Aprendizes-Marinheiros do Ceará (EAMCE).

Palavras-chave:

Capelães, Marinha do Brasil, Guerra da Tríplice Aliança

Resumo

Durante a Guerra da Tríplice Aliança contra o Governo do Paraguai milhares de homens tomaram parte das batalhas e campanhas deste sangrento e longo conflito. Porém, além dos combatentes, uma série de outros sujeitos exerceram funções no teatro de operações, como: médicos, enfermeiros, comerciantes, esposas, mães e companheiras dos beligerantes, prostitutas, práticos, etc. Além destes, um grupo de homens contratados pela Marinha Imperial Brasileira como capelães desempenhou funções eclesiásticas a bordo dos navios e estabelecimentos de terra. O objetivo desse artigo é discorrer a respeito da atuação desse pequeno grupo de capelães a serviço da Marinha Imperial na Guerra da Tríplice Aliança, discutindo de que modo tal serviço religioso era percebido pelas autoridades navais brasileiras. Tal trabalho busca não perder de vista o contexto cultural onde a religião era de fundamental relevância na percepção dos acontecimentos fazendo parte da visão de mundo e construção de realidades, ou seja, a presença de padres no campo de batalha poderia garantir ao mesmo tempo a salvação dos corpos e das almas, a vitória e a graça divina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Marcelo Coelho. A Religião na caserna: o papel do capelão militar. 2006. Dissertação (Mestrado) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2006.

AQUINO, Tomás. Suma Teológica. Vol. V, II Seção da II parte. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

ARIAS NETO, José Miguel. Uma batalha naval concentra por si só um século de glórias: Riachuelo na história e na memória. In. Navigator: Subsídios para a história marítima do Brasil. Vol. 11, N. 21. Rio de Janeiro, 2015. pp. 35-53.

ARQUIVO DA MARINHA DO BRASIL: Livro Mestre de Padres. Nº 5.414. Rio de Janeiro, s.a.

AZEVEDO, Carlos Frederico dos Santos Xavier. História Médico-Cirúrgica da Esquadra Brasileira nas Campanhas do Uruguay e Paraguay de 1864 a 1869. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1870.

BARROS, J. A. Victorino de. Guerra do Paraguay. O Almirante Visconde de Inhaúma. Rio de Janeiro: Typographia do Imperial Instituto Artístico, 1870.

BRASIL. Almanaks do Ministério da Marinha. Vol. IX, X, XI, XIII, Rio de Janeiro, Typographia Nacional e Typographia Perseverança, 1864, 1865, 1866 e 1870.

BRASIL. Almanak do Ministério da Guerra. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1868.

BRASIL. Compilação das Ordens Geraes para o serviço, economia e disciplina dos navios da Armada Nacional e Imperial publicadas pelo Quartel General da Marinha. 1866-1868. Volume V. Rio de Janeiro: Typographia Perseverança, 1869.

BRASIL. Relatório apresentado á Assemblea Geral na primeira sessão da décima quarta legislatura pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha, Barão de Cotegipe. Rio de Janeiro: Typographia do Diário do Rio de Janeiro, 1869.

BRASIL. Relatório apresentado á Assemblea Geral na segunda sessão da décima quarta legislatura pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha, Barão de Cotegipe, Rio de Janeiro, Typographia do Diário do Rio de Janeiro, 1870.

BRASIL. Relatório apresentado á Assemblea Geral na terceira sessão da décima quarta legislatura pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha, Dr. Manoel Antonio Duarte de Azevedo, Rio de Janeiro, Typographia do Diário do Rio de Janeiro, 1871.

BRASIL. Relatório apresentado á Assemblea Geral na segunda sessão da décima quinta legislatura pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha, Joaquim Delfino Ribeiro da Luz. Rio de Janeiro: Typographia Americana, 1873.

BRASIL. Relatório apresentado á Assemblea Geral na terceira sessão da décima quinta legislatura pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha, Joaquim Delfino Ribeiro da Luz. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1874.

BRASIL. Relatório apresentado á Assemblea Geral na primeira sessão da décima sexta legislatura pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios da Marinha, Luiz Antonio Pereira Franco. Rio de Janeiro: Typographia do Diário do Rio de Janeiro, 1877.

CENTURIÓN, Juan Crisóstomo. Memorias del coronel Juan Crisóstomo Centurión ó sea Reminiscencias históricas sobre la guerra del Paraguay. Tomo Tercero. Buenos Aires: Imprenta de Obras de J. A. Berra, 1897.

‘CORREIO MERCANTIL’, Rio de Janeiro, 1865-1868.

‘CORREIO NACIONAL’, Rio de Janeiro, 1870.

COSTA, Francisco Félix Pereira da. História da Guerra do Brasil contra as Repúblicas do Uruguay e Paraguay. Vol III. Rio de Janeiro: Livraria A. G. Guimarães, 1870.

‘DIÁRIO DE PERNAMBUCO’, Recife, 1866.

‘DIÁRIO DO RIO DE JANEIRO’, Rio de Janeiro, 1867-1868.

DORATIOTO, Francisco. Maldita guerra: nova história da Guerra do Paraguai. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

DOURADO, Maria Teresa Garritano. A história esquecida da Guerra do Paraguai: fome, doenças e penalidades. Campo Grande: Editora UFMS, 2014.

FONSECA, Ignacio Joaquim. Estudo. A Batalha de Riachuelo. Rio de Janeiro: Typographia e Litographia a vapor Lombaerts & Comp, 1883.

‘GAZETA DE NOTÍCIAS’, Rio de Janeiro,1901.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Tradução de Fanny Wrobel. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

‘HARPER’S WEEKLY: A JORNAL OF CIVILIZATION’, Vol. XII, nº 617, New York,1868.

OLIVEIRA FILHO, Sergio Willian de Castro. Em prol da moralidade e da disciplina: os Oficiais do Culto da Marinha Imperial entre 1822 e 1865. Antiteses. Londrina: UEL. V. 13, N. 25, pp. 102-120. Jan-Jun. 2020.

OURO PRETO, Visconde de (Affonso Celso de Assis Figueiredo). A Marinha d’outrora: subsídios para a História. Rio de Janeiro: Livraria Moderna, 1894.

PIOVEZAN, Adriane. A assistência religiosa na guerra: o serviço de capelania militar no Brasil. Anais do IV Simpósio do GT História das Religiões e das Religiosidades da Associação Nacional de História Regional Sul (GTHRR-ANPUH) – Religiões, Religiosidades e Patrimônio Cultural, (2015).

PORTUGAL. Regimento Provisional, para o Serviço e disciplina das Esquadras e navios da Armada Real. Lisboa: Oficcina de Antonio Rodrigues Galhardo - Impressor do Conselho do Almirantado, 1796.

PROBER, Kurt. História do Supremo Conselho do Grau 33. Vol. 1. Rio de Janeiro: Livraria Kosmos Editora, 1981.

ROCHA, Manuel Carneiro da. Diário da Campanha Naval do Paraguai – 1866. Rio de Janeiro: Serviço de Documentação da Marinha, 1999.

RODRIGUES, Fernando da Silva & PEDROSA, Fernando Velôzo Gomes (Orgs.). Uma tragédia americana: a Guerra do Paraguai sob novos olhares. Curitiba: Editora Prismas, 2015.

SILVA, Theotonio Meirelles da. História Naval Brazileira. Rio de Janeiro: Editor D. L. Garnier, 1884.

SQUINELO, Ana Paula & MARIN, Jérri Roberto. Pela salvação das almas: a presença de religiosos nos campos de batalha da Guerra do Paraguai. Revista Territórios & Fronteiras. Cuiabá, vol. 7, n. 1, (2014).

TAUNAY, Affonso d’Escragnolle. No Brasil Imperial. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1922.

TREVIZAN, Marcio Bogaz. Os Capelães Militares na Guerra do Paraguay – 1864-1870. Anais do XI Encontro de História de Mato Grosso do Sul (ANPUH): História e diversidade: ensino e pesquisa nas fronteiras. Campo Grande-MS, (2012).

Downloads

Publicado

2021-11-25

Como Citar

(1)
Oliveira Filho, S. W. de C. Entre a Cruz E a Esquadra: Os capelães Da Armada Imperial Brasileira Na Guerra Da Tríplice Aliança Contra O Governo Do Paraguai. FDC 2021, 7, 160-188.