Instituto Nacional do Pão

Coordenação do Ciclo Económico do Pão no Estado Novo Português

Autores

  • Jorge Cruz Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

Palavras-chave:

História de Portugal, Corporativismo, Indústria Cerelífera

Resumo

A malha corporativa do Estado Novo português procurou edificar-se de uma forma estratificada. Considerando esta ideia, patente nos estudos de Manuel de Lucena sobre a evolução do sistema corporativo português e em particular dos organismos corporativos ligados à lavoura, este artigo tem por objetivo principal apresentar uma leitura historiográfica sobre o Instituto Nacional do Pão (I.N.P.), um organismo de coordenação económica e fiscalização da indústria da panificação e atividades económicas agregadas, criado nos anos iniciais do Estado Novo. A análise centra-se em questões formais sobre a sua natureza, formação, funcionamento e articulação na esfera corporativa e política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, LUCIANO. Política e economia: o Estado Novo, os latifundiários alentejanos e os antecedentes da EPAC. Revista Análise Social, vol. XXXI (136-137), 1996 (2.°-3.°), 465-486.

BRITO, JOSÉ M. BRANDÃO DE. Corporativismo in Dicionário de História do Estado Novo. Coordenação de Fernando Rosas e José Maria Brandão de Brito. Bertrand Editora, Lda. 1996. pp. 216-224.

BRITO, JOSÉ M. BRANDÃO DE.. O condicionamento industrial e o processo português de industrialização após a segunda Grande Guerra. Tese de Doutoramento. Universidade Técnica de Lisboa, Instituto Superior de Economia, 1987.

GARRIDO, ÁLVARO. Queremos uma Economia Nova!. Temas e Debates. Lisboa, 2016.

LUCENA, MANUEL DE. A evolução do sistema corporativo português. Volume I - O Salazarismo e Volume II - O Marcelismo. Perspectivas & Realidades. Lisboa, 1976.

LUCENA, MANUEL DE. Salazar, a «fórmula» da agricultura portuguesa e a intervenção estatal no sector primário. Revista Análise Social, vol. XXVI (110),1991(1.°), 97-206.

LUCENA, MANUEL DE. Sobre a evolução dos organismos de coordenação económica ligados à lavoura. Revista Análise Social, vol. XIV (56), 1978-4.°, 817-862.

SANTOS, PAULA BORGES. Na génese da Constituição Política de 1933: o ideário corporativo e a estrutura económico-social do autoritarismo português. Revista Estudos Históricos. vol 31, no 64, p. 173-196, maio-agosto 2018.

SANTOS, PAULA BORGES. O Modelo Político do Estado Autoritário Português: A ideia Corporativa na Constituição do Regime (1931-1933). Revista Espacio, Tiempo y Forma Serie V Historia Contemporánea 27 · 2015 · pp. 59–84.

Downloads

Publicado

2021-11-25

Como Citar

(1)
Cruz, J. Instituto Nacional Do Pão: Coordenação Do Ciclo Económico Do Pão No Estado Novo Português. FDC 2021, 7, 189-208.