O Império do Ocidente

Portugal e o Atlântico-Sul nas “Instruções Políticas” de D. Luís da Cunha

  • Fabricio Lamothe Vargas Universidade Nova de Lisboa
Palavras-chave: Império Português, Atlântico-Sul, Dom Luís da Cunha

Resumo

Este artigo possui como principal objetivo analisar e contextualizar a obra do diplomata português D. Luís da Cunha, “Instruções Políticas a Marco Antônio de Azevedo”. Para que assim seja possível, teremos de primeiramente observar e compreender os cenários políticos de Portugal e da Europa no final do século XVII e em inícios do século XVIII. Em segundo lugar, nos vale ter em mente que os escritos de indivíduo como D. Luís da Cunha nos ofereceriam um nítido panorama da difícil situação de Portugal frente aos problemas enfrentados naquele tempo, assim como demonstram tentativas de encaminhar propostas para que se superasse tais entraves. Em terceiro e último lugar, nos vale ressaltar e analisar uma das principais e mais curiosas soluções inferidas pelo diplomata em seus escritos: a mudança da corte para a cidade do Rio de Janeiro e a tomada do título de imperador do Ocidente pelo rei D. João V.

Biografia do Autor

Fabricio Lamothe Vargas, Universidade Nova de Lisboa

Brasileiro, natural do Rio de Janeiro. Graduado em História na Universidade Federal Fluminense. Mestrando na Universidade Nova de Lisboa.

Publicado
2020-06-02
Como Citar
(1)
Lamothe Vargas, F. O Império Do Ocidente: Portugal E O Atlântico-Sul Nas “Instruções Políticas” De D. Luís Da Cunha. FDC 2020, 6, 136-159.