Um Um Mês de Desgosto:

a atuação dos jornais Tribuna da Imprensa e Última Hora na crise de agosto de 1954

  • Thársyla Glessa Lacerda da Cunha Doutoranda em História Política pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGH-UERJ) sob a orientação do Prof. Dr. Ricardo Antônio de Souza Mendes.
Palavras-chave: Impresa, Última Hora, Tribuna da Imprensa

Resumo

Getúlio Vargas tomou posse como presidente da república, pela segunda vez, no ano de 1951, assumindo um governo democrático. No entanto, seu novo governo foi marcado  por  grande  instabilidade  política,  devido  à  forte  oposição  por  parte  da  União Democrática Nacional (UDN) e por parte da imprensa. Nesse sentido, a proposta deste trabalho é verificar o poder de atuação da imprensa no campo histórico, destacando sua influência  na  construção  dos  acontecimentos  políticos.  Essa  compreensão  será  feita, aqui, através da análise dos jornais Tribuna da Imprensa e Última Hora, durante a crise apresentada no segundo governo de Getúlio Vargas, buscando entender de que modo os interesses defendidos por eles, influenciaram os rumos políticos naquele momento, que teve o desfecho conturbado, com o suicídio do presidente em 24 de agosto de 1954.
Publicado
2019-06-18
Como Citar
(1)
Glessa Lacerda da Cunha, T. Um Um Mês De Desgosto:: A atuação Dos Jornais Tribuna Da Imprensa E Última Hora Na Crise De Agosto De 1954. FDC 2019, 4, 157-177.