O Brasil pós-1822:

nem tão moderno, nem tão conservador

  • Wender M. L. Souza mestre pelo Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagem da Universidade Federal do Mato Grosso
Palavras-chave: Escravidão, Liberalismo, Brasil

Resumo

O presente artigo trata da acomodação de ideias no Brasil do século XIX, mais especificamente das liberais na economia e como reverberaram no meio político do país. Havia uma distância entre a teoria e a prática, pois a ação se afastava da ideia da classe dominante, como exemplo, e foco do artigo, a escravidão que era criticada pelo discurso liberal europeu, mas encontrava resistência entre os liberais brasileiros. Assim sendo, ideias liberais, como livre comércio, direito à propriedade e individualismo, eram defendidas na economia, no entanto, eram rechaçadas quando se referiam à escravidão, que perdurava no Brasil. Para demonstrar essa discrepância entre prática x teoria, utilizam-se Alfredo Bosi, Roberto Schwarz e Carlos Lessa.
Publicado
2019-06-04
Como Citar
(1)
M. L. Souza, W. O Brasil pós-1822:: Nem tão Moderno, Nem tão Conservador. FDC 2019, 3, 23-38.