CONDIÇÕES DE TRABALHO E FAZER EM ENFERMAGEM

  • Luciene Muniz Braga
  • Lilian Machado Torres
  • Vivian Medeiros Ferreira

Resumo

Com o objetivo de analisar como as condições de trabalho interferem no cotidiano do enfermeiro em um hospital público de Belo Horizonte (MG, Brasil), realizou-se uma pesquisa com abordagem qualitativa, com a participação de dez enfermeiros. Utilizou-se a entrevista individual guiada por um roteiro contendo questões abertas e semiestruturadas. Os resultados evidenciaram prevalência do gênero feminino, que foi considerado fator facilitador para o exercício profissional. A estrutura física e os serviços de apoio como manutenção e farmácia, a improvisação de materiais, a deficiência do quantitativo de profissionais na prestação da assistência, além da realização de tarefas não específicas do profissional enfermeiro foram apontados como fatores que influenciam negativamente o fazer da enfermagem, dificultando a assistência e gerando sensações de impotência, frustração e angústia. A falta de organização no trabalho foi percebida pelos profissionais como sobrecarga, fator de cansaço e estresse no cotidiano. Observou-se a preocupação constante de alguns profissionais no sentido de inserir a “Sistematização da Assistência de Enfermagem” no rol de suas atividades diárias, mas ainda apresentando algumas dificuldades.

Publicado
2016-08-17
Como Citar
Braga, L. M., Torres, L. M., & Ferreira, V. M. (2016). CONDIÇÕES DE TRABALHO E FAZER EM ENFERMAGEM. Revista De Enfermagem Da UFJF, 1(1). Recuperado de https://periodicos.ufjf.br/index.php/enfermagem/article/view/3788
Seção
Artigos Originais