INVESTIGAÇÃO DA TUBERCULOSE LATENTE EM TRABALHADORES DE UM HOSPITAL PENITENCIÁRIO: IMPLICAÇÕES PARA SAÚDE DO TRABALHADOR

  • Tania Eduarda Furini
  • Roberta Karla Barbosa de Sales
  • Marco Akerman

Resumo

Objetivos: Determinar a prevalência de infecção latente pelo Mycobacterium tuberculosis entre grupos de trabalhadores de hospital. Método: Trata-se de um estudo de ensaio clínico observacional, transversal, retrospectivo
e de abordagem quantitativa, realizado no Hospital Penitenciário da cidade de São Paulo. Para obtenção das informações, foi aplicado um questionário com dados sócio demográficos, hábitos ocupacionais (tabagismo e
etilismo); contato com pacientes portadores de tuberculose (TB) e uso de equipamentos de proteção individual. Foi aplicado teste tuberculínico por profissional capacitado, avaliado após 48 horas, o resultado do teste foi
fundamentado em pontos de corte TST negativo ≤ 10 mm e TST positivo ≥ 10 mm. Resultados: Participaram 101 profissionais (enfermeiro, auxiliar de enfermagem, médico, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, assistente
social, psicólogo), com perda de 66 trabalhadores. Obteve-se uma prevalência do teste negativo em 69,2%, enquanto que o teste positivo em 30,5% dos trabalhadores. A presença de cicatriz de BCG foi a única variável
que se mostrou com diferença significativa (p= 0.03). Conclusão: Apesar da prevalência do teste tuberculínico negativo, conclui-se que os profissionais de saúde estão expostos á tuberculose. Devem ser implementadas
medidas de biossegurança administrativas e equipamentos de proteção individual.

Publicado
2018-12-21
Como Citar
Furini, T. E., de Sales, R. K. B., & Akerman, M. (2018). INVESTIGAÇÃO DA TUBERCULOSE LATENTE EM TRABALHADORES DE UM HOSPITAL PENITENCIÁRIO: IMPLICAÇÕES PARA SAÚDE DO TRABALHADOR. Revista De Enfermagem Da UFJF, 4(1). https://doi.org/10.34019/2446-5739.2018.v4.14014
Seção
Artigos Originais