O papel da atenção primária na rede de atenção à saúde frente ao manejo da hanseníase: um estudo transversal

Autores

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Hanseníase, Doenças Endêmicas, Notificação

Resumo

Objetivou-se analisar o perfil demográfico e clínico dos casos de hanseníase e associar os fatores relacionadas às incapacidades físicas com a Atenção Primária à Saúde (APS) na perspectiva de Redes de Atenção à Saúde em Sinop, Mato Grosso. Trata-se de um estudo transversal, que percorreu três etapas analíticas: conhecimento do perfil epidemiológico; classificação da capacidade da Atenção Primária em coordenar as Redes de Atenção à Saúde; correlação dessa classificação com o número de casos novos, desfecho e o Grau de Incapacidade Física e correlação do número de casos novos e a média de cobertura da Atenção Primária por meio do coeficiente de correlação de Pearson. Foram considerados os casos novos de hanseníase notificados no período de 2014 a 2018. Dos 1.649 casos novos, 63% foram mulheres, entre 15 e 59 anos (83%), com até nove anos de estudo (47%), e negros (61%). Cura respondeu por 86% dos registros. Predomínio de Grau de incapacidade física 0 no diagnóstico (58%) e ausência de avaliação no desfecho (17,1%). Todas as Atenção Primária à Saúde foram classificadas como ‘condição boa’ na coordenação das Redes de Atenção. O abandono apresentou ‘correlação moderada’ com a capacidade da Atenção Primária em coordenar as Redes de Atenção e a média de cobertura da Atenção Primária com o número de casos indicou correlação ‘muito alta’. A Atenção Primária, na perspectiva da Rede de Atenção, se mostrou efetiva no controle e na condução da hanseníase no território municipal.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio Henrique de Souza, Prefeitura Municipal de Sinop, MT, Secretaria Municipal de Saúde

Graduado em Enfermagem e Obstetrícia pela Fundação Educacional de Fernandópolis (FEF). Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). CV: http://lattes.cnpq.br/9710346403199716

Maria Clara Martins de Araújo, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Graduanda em Medicina na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). CV: http://lattes.cnpq.br/6214037335730268

Vitória Paglione Balestero de Lima, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Graduanda na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). CV: http://lattes.cnpq.br/4496514974490039

Lee Yun Sheng, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Doutor em Engenha Mecânica em Aeronaves e mestre em Matemática Pura (na área de Singularidades). Professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). CV: http://lattes.cnpq.br/9102152521491437

Marcela Antunes Paschoal Popolin, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Doutora em Ciências. Professora da Universidade Federal do Tocantins (UFT), campus Palmas. CV: http://lattes.cnpq.br/3652342932659009

Flávia Menegheti Pieri, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutora em Ciências. Professora da Universidade Estadual de Londrina (UEL). CV: http://lattes.cnpq.br/5078417233787329

Ludmila Barbosa Bandeira Rodrigues Emerick, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Doutora em Ciências. Professora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Sinop. CV: http://lattes.cnpq.br/3496161046057428

Downloads

Publicado

2023-01-18

Edição

Seção

Artigos Originais