Subdiagnóstico de hanseníase na Atenção Primária em Saúde e prevenção de incapacidades

Autores

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde

Resumo

A hanseníase é uma doença infectocontagiosa, granulomatosa e curável, que tem como agente etiológico o bacilo Mycobacterium leprae. Ele tem predileção pelas células do sistema reticuloendotelial, histiócitos do sistema nervoso periférico e células da pele e mucosa nasal. As manifestações clínicas são acometimento cutâneo, caracterizado por máculas hipocrômicas, hipo ou anestésicas, ou até mesmo placas, nódulos, tubérculos e infiltração sem lesões de pele aparentes e acometimento de nervos periféricos. Com a progressão da doença, as manifestações dermatoneurológicas convergem-se às deformidades, mutilações e incapacidades. Este relato objetiva evidenciar a importância do diagnóstico correto e precoce desta patologia, essenciais para a redução dos impactos no funcionamento global dos pacientes hansênicos. O caso trata-se de uma mulher de 62 anos, apresentando manchas eritematosas e prurido, procura Unidade Básica de Saúde após não obter melhora com o tratamento para “alergia”.  Também relatava visão turva, obstrução nasal, artralgia, parestesia em membros superiores e inferiores, com dificuldade de manipular objetos, resultando em dificuldade em suas atividades cotidianas. Ao exame físico apresentava máculas hipocrômicas por todo o corpo, atrofia de quirodáctilos e pododáctilos, atrofia hipotenar, espessamento dos nervos ulnar e cianose nos pés. O diagnóstico de hanseníase foi feito clinicamente e confirmado com a baciloscopia positiva. Como seguimento, foram retiradas as suas aplicações mensais de corticosteroide e foi estabelecida a poliquimioterapia multibacilar. Nesse caso, o diagnóstico e tratamento foi postergado por cinco anos, piorando seu prognóstico quanto às incapacidades físicas. Apesar do Mato Grosso ser considerado estado hiperendêmico para a hanseníase, profissionais da saúde ainda encontram certa dificuldade na identificação da patologia, devido ao seu amplo espectro de apresentações clínicas. Conclui-se que a detecção precoce de novos casos, por meio do diagnóstico da doença, investigação de contatos e o tratamento adequado com poliquimioterapia são essenciais para  evitar sequelas e incapacidades resultantes da falta de acompanhamento adequado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Aguiar Ledur, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Residente em Medicina da Família e Comunidade da Secretaria Municipal de Saúde de Sinop/Comissão de Residência Médica de Sinop (SMS/COREME), em 2019; Graduada pela Faculdade de Ciências biomédicas de Cacoal-RO ( FACIMED), em 2014.

Ana Carolina Ribeiro Pereira, Secretaria Municipal de Saúde de Sinop – MT

Preceptora em Medicina da Família e Comunidade da Secretaria Municipal de Saúde de Sinop/Comissão de Residência Médica de Sinop (SMS/COREME), em 2020; Graduada pela Universidade de Cuiabá-MT(UNIC), em 2015 e especialista em Preceptoria e Medicina da Família e comunidade pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA),em 2018.

Carolinne Beatriz Alves, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), câmpus Sinop

Acadêmica de Medicina, 5º ano, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Sinop.

Thulio Henrique Martins Ferreira, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), câmpus Sinop

Acadêmico de Medicina, 5º ano, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Sinop.

Bianca Reis de Freitas, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Sinop

Acadêmica de Medicina, 5º ano, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Sinop.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Edição

Seção

Resumos