Educação permanente para agentes comunitários da Unidade de Saúde Sussuarana em Salvador-Ba

Autores

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Educação permanente, Saúde da família, Agente comunitário de saúde

Resumo

A Estratégia Saúde da Família (ESF) constitui modelo prioritário de reorientação do cuidado em saúde, baseando-se no vínculo, abordagem comunitária e familiar e integralidade. Nesse contexto, os ACS (Agentes Comunitários de Saúde) desempenham papel crucial como elo entre comunidade e equipe (NASCIMENTO; CARDOSO, 2008). A educação permanente em saúde trata-se de um processo educativo de formação/atualização de profissionais contextualizada na sua prática cotidiana (CECCIM, 2004). A educação permanente permite o aprimoramento e valorização dos profissionais da saúde da família, baseando-se na dialogicidade, criticidade e apreensão da realidade (FREIRE, 2005). Objetivou-se relatar a experiência sobre a educação permanente para ACS em unidade de saúde da família de Sussuarana, em Salvador-Ba, em 2019. Realizou-se rodas de conversas e oficinas sobre temas relacionados à rotina da Estratégia Saúde da Família. A seleção baseou-se nas necessidades trazidas pelos ACS. As oficinas eram realizadas mensalmente com a mediação de dois médicos. Recursos audiovisuais eram utilizados para facilitar a compreensão e as discussões eram baseadas em simulações reais. Assim, o processo formativo foi implementado a partir da proposta dialógica e dialética de Freire (2005), estimulando a reflexão sobre a práxis e as possibilidades de aperfeiçoar sem desumanizar o trabalho dos ACS. Essa estratégia didático-pedagógica possibilitou o encontro de subjetividades, diferentes concepções e reflexões sobre a realidade da comunidade. Nesta perspectiva, a proposta formativa oportunizou a escuta sensível das especificidades dos ACS, o compartilhamento de vivências e experiências, bem como a construção coletiva de conhecimentos, numa prática educacional libertadora, por meio da emancipação de sujeitos, que passaram a realizar o trabalho com maior autonomia e embasamento teórico-prático. Em conclusão, a educação permanente foi importante para aperfeiçoar a assistência prestada pela equipe aos usuários, visto que os ACS atuam em atividades na unidade e extra-muro, tais como visitas domiciliares, educação em saúde e acolhimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Vinicius Sacramento França, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública da Bahia (EBMSP)

Possui graduação em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (2015). Especialização em Atenção básica à saúde pela Universidade Federal do Maranhão (2017). Atualmente é médico residente em Medicina de Família e Comunidade pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Experiência em medicina de família e comunidade e clínica geral. Pesquisa na área de educação em saúde e racismo institucional em saúde( TCC em andamento).

Marcos Vinicius Castro Souza, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Formado em Pedagogia pela Faculdade Adventista de Educação do Nordeste, com especialização em psicopedagogia institucional, clínica e hospitalar pela Fundação Visconde de Cairu. Mestre em Gestão e Tecnologias Aplicadas à Educação pela Universidade do Estado da Bahia (GESTEC/UNEB) e doutorando em Difusão do Conhecimento pelo Programa de Pós-Graduação Multi-Institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento pela Universidade Federal da Bahia (UFB). Atua como Coordenador Pedagógico na rede municipal de educação de Salvador/BA.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Edição

Seção

Resumos