Reflexões sobre a implantação de novas estratégias de educação popular em uma ESF de um município do leste de Minas Gerais

  • Marina Corrêa Lima Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares
  • Kléber Proietti Andrade
  • Lélia Cápua Nunes
  • Waneska Alexandra Alves
  • Maria Socorro de Menezes
  • Thiago Lorentz Pinto
Palavras-chave: Estratégia Saúde da Família, Educação, Melhoria de Qualidade.

Resumo

Considerando a persistente iniquidade nas práticas preventivas, surge a Educação Popular em Saúde (EPS), construída a partir de metodologias pedagógicas dialógicas, democráticas e inclusivas, dentre as quais se destaca a de Paulo Freire. Este trabalho relata a experiência de discentes do curso de Medicina em uma intervenção do PET-Saúde/GraduaSUS numa Estratégia de Saúde da Família (ESF), que teve dois focos: um voltado aos profissionais da ESF, introduzindo-os à metodologia de Freire, e outro direcionado aos usuários da ESF, orientando-os por meio de grupos de autocuidado acerca de temas em saúde. Todas as ações foram realizadas nos moldes dos Círculos de Cultura. Houve boa aceitação por parte de profissionais e comunidade. As potencialidades da intervenção incluíram, principalmente, a imersão da ESF e da comunidade num novo modelo de EPS e o aprendizado teórico-prático dos discentes de medicina sobre ações de educação em saúde. Para a ESF, essas atividades propiciaram maior proximidade entre a equipe e a comunidade, além de melhor interação entre os profissionais e, para os usuários, a experiência de participação em grupos de autocuidado. Aos acadêmicos, a possibilidade de vivenciar a integração ensino-serviço-comunidade permitiu uma nova visão sobre a participação do médico na atenção básica.

Biografia do Autor

Marina Corrêa Lima, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares
Acadêmica do 8º período de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares
Publicado
2020-01-24
Seção
Relato de Experiência