A OFERTA POR COTAS PARA EXAMES E CONSULTAS ESPECIALIZADAS ATENDE ÀS DEMANDAS DAS UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA?

  • Pricila Oliveira Araújo Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Marluce Maria Araújo Assis Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Adriano Maia dos Santos Universidade Federal da Bahia
  • Maria José Bistafa Pereira Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Serviços de Saúde, Necessidades e Demandas de Serviços de Saúde, Atenção Primária à Saúde.

Resumo

Objetivo: analisar a organização da oferta por cotas para exames e consultas especializadas, a partir das demandas dos usuários das unidades de Saúde da Família, em dois municípios da Bahia, Brasil. Percurso metodológico: trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, com 91 sujeitos entrevistados (usuários, trabalhadores de saúde e dirigentes) por meio da entrevista semi-estruturada e observação sistemática do atendimento. A análise dos dados empíricos foi respaldada na hermenêutica crítica e no fluxograma analisador. Resultados: o quantitativo de cotas para exames e consultas especializadas distribuídas para as unidades de saúde da família é considerado, pelos entrevistados, reduzido e insuficiente para suprir a demanda da população, sendo motivo de queixa não somente por parte dos usuários, mas, também, de trabalhadores e dirigentes do sistema. Enfim, a articulação entre a oferta de cotas e às demandas na Saúde da Família não reside apenas na ampliação do número de vagas, mas na reestruturação da rede e do processo de trabalho em saúde. 

Biografia do Autor

Pricila Oliveira Araújo, Universidade Estadual de Feira de Santana
Docente do Curso de Enfermagem, Departamento de Saúde da Universidade Estadual de Feira de Santana.
Marluce Maria Araújo Assis, Universidade Estadual de Feira de Santana
Docente dos Programas de Pós-Graduação em Saúde Coletiva e Enfermagem da UEFS.
Adriano Maia dos Santos, Universidade Federal da Bahia
Professor permanente e coordenador do Mestrado Acadêmico em Saúde Coletiva, no Instituto Multidisciplinar em Saúde, na UFBA, e professor permanente no Mestrado Profissional em Saúde Coletiva na UEFS.
Maria José Bistafa Pereira, Universidade de São Paulo
Docente Curso de Enfermagem da Universidade de São Paulo
Publicado
2019-01-30
Seção
Artigos Originais