Aves do Jardim Botânico da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil

  • Bruno Corrêa Barbosa Laboratório de Ecologia Comportamental e Bioacústica, Departamento de Zoologia, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil http://orcid.org/0000-0003-2421-6239
  • Tatiane Tagliatti Maciel Laboratório de Ecologia Comportamental e Bioacústica, Departamento de Zoologia, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8377-5199
  • Marco Antônio Manhães Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil
  • Fábio Prezoto Laboratório de Ecologia Comportamental e Bioacústica, Departamento de Zoologia, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil https://orcid.org/0000-0003-1179-9279
Palavras-chave: Ambiente urbano, Diversidade de aves, Floresta Atlântica, Levantamento ornitológico, Riqueza de espécies

Resumo

Fragmentos urbanos têm se tornado verdadeiros refúgios para animais e plantas que buscam nessas áreas com recursos para a sua sobrevivência apresentando, sobretudo, uma grande importância para a conservação de aves que necessitam de um espaço mínimo para encontrar abrigo, alimento, locais propícios para nidificar e outros indivíduos da mesma espécie para reproduzir. Nesse sentido, o estudo teve como objetivo elaborar uma lista das espécies de aves registradas em um fragmento urbano da Zona da Mata Mineira, assim como avaliar a flutuação de aves aquáticas durante um período de obras no local. Em seis anos de coleta, que foram divididos entre antes, durante e após a obra, foram registradas 160 espécies de aves, com seis espécies novas para a região. Houve variação na riqueza de espécies de aves associadas a ambientes aquáticos durante o estudo e o desaparecimento de Coraciiformes. Os resultados confirmaram o potencial de fragmentos urbanos em abrigar espécies de aves ameaçadas e que vêm enfrentando dificuldades em manter suas populações.

Publicado
2019-12-30