Análise dos Níveis de Colesterol e da Influência do Enriquecimento Ambiental no Comportamento de Psitacídeos

  • Letícia Maria Biazussi Núcleo de Estudos em Vida Selvagem- NEVS, Universidade do Oeste de Santa Catarina, São Miguel do Oeste, SC, Brasil
  • Elisângela Neuhaus Núcleo de Estudos em Vida Selvagem- NEVS, Universidade do Oeste de Santa Catarina, São Miguel do Oeste, SC, Brasil
  • Jackson Fábio Preuss Núcleo de Estudos em Vida Selvagem- NEVS, Universidade do Oeste de Santa Catarina, São Miguel do Oeste, SC, Brasil
Palavras-chave: Aves, Cativeiro, Comportamentos estereotipados

Resumo

Para espécies da fauna selvagem, quando alguma demanda natural não é mantida em cativeiro, altos níveis de estresse podem ser gerados. Condições como estresse ambiental, desequilíbrios nutricionais e doenças clínicas muitas vezes são de difícil detecção em animais silvestres em cativeiro. Com isso, a utilização de ferramentas de enriquecimento e exames laboratoriais são cruciais para avaliar estas alterações. O objetivo desse trabalho foi analisar os níveis de colesterol e a influência do enriquecimento ambiental no comportamento de psitacídeos submetidos a diferentes técnicas de enriquecimento ambiental. O estudo foi realizado na sede do 2º Pelotão da 2ª Companhia do 2º Batalhão de Polícia Militar Ambiental, no município de São Miguel do Oeste, Santa Catarina, Brasil. Avaliaram-se 11 psitacídeos de oito diferentes espécies, todas oriundas de resgates ou apreensões. A coleta de dados foi realizada entre os meses de maio e outubro de 2018. A metodologia fundamentou-se na observação em dois dias mensais para cada fase, por um período total de 4 h/dia, das 13 h às 17 h. Os dados foram coletados em três fases: pré-enriquecimento, enriquecimento e pós-enriquecimento. Nas 60 horas de observações foram encontradas oito categorias comportamentais, sendo sete visuais e uma sonora. Não foi detectada diferença significativa entre as fases de amostragem (ANOVA: P > 0,05). Entretanto, comportamentos classificados estereotipias diminuíram consideravelmente na fase de pós-enriquecimento com a aplicação de ferramentas de enriquecimentos ambiental. A média obtida do colesterol sérico foi de 653,68 ± 87,60 mg.dl-1, níveis considerados alterados para este grupo de aves. Conclui-se que os indivíduos de psitacídeos avaliados apresentavam condições fisiológicas e comportamentais impactadas pela vida em cativeiro e que a utilização de enriquecimento ambiental mostrou resultado positivo, aumentando assim seu bem-estar e reduzindo comportamentos estereotipados.

Publicado
2019-12-30