Comparação de três redes para identificar a estrutura de assembléias de peixes em praias estuarinas de São Francisco do Sul, Santa Catarina

  • José Maria Souza-Conceição
  • Henry Louis Spach
  • Daliana Bordin
  • Micheli Duarte de Paula Costa
  • Renato Luiz Bot Neto

Resumo

A capturabilidade de três redes tipo picaré foi comparada em sete praias estuarinas de São Francisco do Sul, Santa Catarina. A captura de exemplares e taxa foi maior na rede de malha de 2,5 mm, com as redes de malhas de 1 e 2,5 mm apresentando um maior número de espécies exclusivas. Em termos gerais observou-se que as redes de malha de 1mm e 2,5mm capturam um maior número de exemplares de menor porte. Na maioria dos meses de coleta as médias por rede do número de peixes e espécies, diversidade de Shannon-Wiener e a equitavidade não diferiram significativamente. Considerando-se as praias em separado, entre as redes utilizadas nas coletas não foram significativas as diferenças entre as médias do número de exemplares e equittividade, com diferenças estatísticas na média do número de peixes e diversidade de Shannon-Wiener. Através das análises de agrupamento observa-se que as redes de malha de 2,5 mm e 5,0 mm mostraram, nas praias estuarinas estudadas, assembléias similares no padrão de variação temporal, diferindo acentuadamente do padrão temporal identificado com a rede de malha de 1mm. Em termos espaciais as três redes mostraram resultados diferentes, com uma maior similaridade entre as assembléias amostradas pelas redes de 2,5 e 5mm.

Publicado
2014-07-30