Influência do jejum intenso durante 30 dias na hematopoiese de Bradybaena similaris (Mollusca, Xanthonychidade)

  • Marcelo Stravalli Correa Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Solange Viana Paschoal Blanco Brandolini Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Resumo

Espécimes de Bradybaena similaris com diâmetro de concha variando entre 13 e 15 mm foram mantidos sob condições experimentais para a realização deste estudo que teve por objetivo verificar a influência do jejum intenso, da variação de temperatura e umidade relativa do ar sobre o número de hemócitos totais/ml de hemolinfa de B. similaris, por um período de 30 dias. Para tanto, foi realizada a punção cardíaca para obtenção de hemolinfa em moluscos do grupo controle e naqueles submetidos ao jejum intenso em intervalos regulares. As diferenças mais expressivas no número de hemócitos foram verificadas no 10° dia, quando os moluscos mantidos em jejum triplicaram a produção de hemócitos quando comparados ao grupo controle e no 15° e 25° dias quando os moluscos submetidos ao jejum apresentaram uma redução acentuada no número de hemócitos em relação ao grupo controle. Em parte o aumento da temperatura coincide com o maior número de hemócitos nos moluscos mantidos em jejum. A umidade relativa do ar foi maior no 5°, 25º e 30° dias de experimento, coincidindo com o aumento na produção de hemócitos tanto pelos moluscos do grupo controle quanto por aqueles mantidos sob jejum, em períodos distintos do experimento. Embora, a análise estatística pelo teste t de Student tenha demonstrado que as variações de temperatura e umidade relativa do ar não influenciaram significativamente no número de hemócitos totais produzidos pelos moluscos dos dois grupos estudados. A análise pelo teste de regressão polinomial de 4ª ordem evidenciou maior relação entre a duração do experimento e o número de hemócitos totais produzidos pelos moluscos do grupo controle. Os moluscos submetidos ao jejum intenso estivaram durante quase todo o período experimental. Este comportamento pode ser considerado como um mecanismo compensatório para a manutenção da homeostase, em resposta ao estresse de carência alimentar.

Biografia do Autor

Solange Viana Paschoal Blanco Brandolini, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Departamento de Biologia Animal

Instituto de Biologia

UFRRJ

Publicado
2014-01-20