A dieta de Nasua nasua (Linnaeus, 1766) no Parque Ecológico do Tietê, SP1

  • Valesca Arenas dos Santos
  • Beatriz de Mello Beisiegel

Resumo

Os quatis (Nasua nasua Linnaeus, 1766) são onívoros que se adaptam rapidamente a alterações antrópicas em seus habitas. Em um ambiente semi-natural, o Parque Ecológico do Tietê, SP, onde havia abundância de alimento provido por humanos além de oportunidades para forragear, 96.6% das amostras fecais de quatis continham frutos obtidos por forrageamento, 31.6% das amostras continham restos de
alimentos providos por humanos e 15% continham restos de invertebrados. Estes resultados confirmam a natureza oportunística dos hábitos alimentares dos quatis. As sementes foram defecadas principalmente intactas pelos quatis, sugerindo o potencial desta espécie como
dispersora de sementes, já apontado por outros estudos. A alta freqüência de frutos obtidos por forrageamento, apesar da abundância de alimentos providos por humanos, sugere que a estratégia de manejo dos quatis do Parque poderia incluir a diminuição da quantidade de alimentos providos por humanos e o aumento da disponibilidade de frutos nativos, através do plantio destas espécies.
Publicado
2009-08-11
Seção
Comunicação Científica