“Refligerante” e “sargadinhos”: rotacismo e grafias não-convencionais de alunos do sexto ano do Ensino Fundamental em Ponta Grossa (PR)

Resumo

O presente artigo analisa grafias não-convencionais presentes em textos de estudantes do sexto ano do Ensino Fundamental de duas escolas públicas localizadas no município paranaense de Ponta Grossa. Especificamente, são analisadas ocorrências de trocas entre os grafemas <l> e <r>, as quais podem ser associadas ao fenômeno fonético-fonológico denominado rotacismo, como em devorver (para devolver) e anuncial (para anunciar). Como fundamentação teórica, segue-se o Modo heterogêneo de constituição da escrita (Corrêa, 2004). A partir de 201 produções textuais (Mendes, 2013), foram levantadas 11 ocorrências, das quais sete (63,6%) correspondem ao uso do grafema <r> quando convencionado <l>, como em pírulas (para pílulas), e quatro (36,4%) ao uso de <l> quando a convenção prescreve <r>, como em compral (para comprar). Esses resultados evidenciam a circulação dialógica dos escreventes pelas práticas sociais do oral/falado e do letrado/escrito (Corrêa, 2004).

Publicado
2020-11-16