Dialogismo e letramentos: o estilo verbal como lugar social de todo homem

  • Adriana Delmira Mendes Polato
  • Neiva Maria Jung

Resumo

Neste artigo, propomos problematizar a alusão direta e vertical à ideia de discurso como gênero, por
meio de abordagens mais estruturais do que valorativas no processo de ensino e aprendizagem de línguas, como
resultado da compreensão e da apropriação recortada da teoria dialógica do Círculo de Bakhtin (ROJO, 2005;
BRAIT; PISTORI, 2012). Temos como objetivo principal esboçar, por meio de um percurso teórico de diálogo
entre duas epistemologias - o dialogismo do Círculo de Bakhtin e Estudos dos Letramentos -, um traçado que
elege o estilo verbal dos gêneros como o lugar heterogêneo do dialogismo pleno, por unir o social e o individual
(BAKHTIN, 2003, 2013). Embora socialmente reconhecido, o estilo serve à manifestação da individualidade do
falante. É lugar idiossincrático do homem, que ali se mostra pertencente a um grupo social pelas axiologias que
compartilha em plano enunciativo. Como contribuições, ressaltamos o estilo como lugar da heteroglossia e da
transculturalidade, portanto, lugar social de todo homem, e não como o lugar artificial de alguns homens, ao qual
a escola deve atentar em suas posturas metodológicas para não contribuir com a construção e manutenção da
desigualdade social. O sujeito está na língua assim como a língua está no sujeito.

Publicado
2020-01-28