“Bela, recatada e do lar”

os desdobramentos midiáticos de uma pequena frase

  • Marilena Inácio de Souza

Resumo

A presença de “pequenas frases” na mídia contemporânea é um fenômeno incontestável. Além
de se destacarem nas manchetes, títulos e subtítulos de artigos na imprensa brasileira, elas também se
proliferam rapidamente nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagran, entre outros. O enunciado “bela,
recatada e do lar” é um bom exemplo. Desde que apareceu no título da reportagem da revista Veja,
qualificando Marcela Temer, esposa do então vice-presidente, Michel Temer-PMDB, se tornou alvo de
inúmeros comentários e retomadas discursivas. À luz da Análise de Discurso francesa, especialmente dos
recentes conceitos desenvolvidos por Maingueneau (2006; 2010; 2014; 2016), busco compreender as
relações linguístico-discursivas que favoreceram a sua retomada e circulação, verificando em que medida
tais práticas movimentam e fazem circular diferentes efeitos de sentido. A análise empreendida leva a
compreendê-lo como uma aforização, cuja intensa manifestação satura o espaço midiático provocando
tensões de ordens diversas.

Publicado
2019-09-16
Seção
Artigos