Uso dos pronomes-objeto de segunda pessoa na fala de Salvador e de Santo Antônio de Jesus

  • Gilce de Souza Almeida

Resumo

Neste artigo, investigamos, a partir do aporte teórico-metodológico da Sociolinguística Variacionista,
o uso dos pronomes-objeto de segunda pessoa no sistema de tratamento de dois municípios baianos – Salvador e
Santo Antônio de Jesus. Defendemos a hipótese de que o uso do pronome lhe, amplamente empregado como
objeto direto (OD) no falar das duas localidades, está relacionado à faixa etária e ao sexo/gênero dos falantes
bem como ao tipo de relação que se estabelece entre eles. Na amostra analisada, verificamos que os falantes com
idade entre 45 e 55 anos e 65 anos acima são os que apresentam uso mais produtivo de lhe na função de OD de
segunda pessoa e, quando observada em correlação ao sexo/gênero do falante, esta variante é mais produtiva
entre os homens. Os resultados indicam, ainda, que, nas relações entre indivíduos não-pares (relações
assimétricas), há maior constância no uso de lhe, o que comprova o traço de mais formalidade da variante.

Publicado
2019-09-13