20) A frequência e o delineamento da gramática: a afixação do clítico te no português brasileiro

  • Célia Regina dos Santos Lopes (UFRJ)
  • Camila Duarte de Souza (UFRJ)
  • Thiago Laurentino de Oliveira (UFRJ)

Resumo

Inglês: The frequency and the delineation of grammar: the affixation of the cliticte in Brazilian Portuguese
This study discusses how the high productivity of the cliticte in Brazilian Portuguese can be interpreted as a case of grammaticalization. In order to do so, we used synchronic and diachronic data of Brazilian Portuguese about the uses of second person singular pronouns in their accusative and dative functions and we resorted to the theoretical principles of grammaticalization. The hypothesis is that the high frequency of, the cliticte favored the automation of the structure as a mark of the 2nd person singular. It is argued that this automation, on the one hand, would be displacing the form te, a continuum of grammaticalization, from clitic category to affix category and, on the other hand, it could lead to their semantic opacity, generating the doubling constructions.
Keywords: grammaticalization; cliticte; accusative and dative complements.

Tradução:
Este trabalho discute de que maneira a alta produtividade do clíticote no português brasileiro (PB) pode ser interpretada como um caso de gramaticalização. Para tanto, parte-se de dados sincrônicos e diacrônicos do PB acerca dos usos dos pronomes de segunda pessoa do singular nas funções acusativa e dativa e recorre-se aos pressupostos teóricos da gramaticalização. A hipótese é de que a alta frequência do te favoreceu a uma automação da estrutura como marca de 2ª pessoa do singular. Defende-se que essa automação, por um lado, estaria deslocando a forma te, em um continuum de gramaticalização, da categoria dos clíticos para a dos afixos e, por outro lado, poderia levar a sua opacidade semântica, gerando as construções com redobro.
Palavras-chave: gramaticalização; clíticote; complementos acusativo e dativo.
Publicado
2016-06-22
Seção
Artigos