12) Sobre a natureza do morfema de pluralidade em português: rediscutindo o domínio da concordância

  • Cláudia Roberta Tavares Silva (UFRPE)
  • Telma Moreira Vianna Magalhães (UFAL)

Resumo

Inglês: On nature of morphem e of plurality in Portuguese: review about agreement domain
This paper aims to study the agree ment in Brazilian Portuguese (BP) and European Portuguese (EP) based on the internal domain of DP and the domain between Subject DP and verbal inflection. Were argue the Costa and Figueiredo Silva’s (2003) proposal based on Distributed Morphology (EMBICK; NOYER, 2001; NOYER, 2003). The authors argue that the morphologically visible agreement in EP is categoric alin the two domains because the morpheme related to plurality is dissociated, differently from BP whose morpheme is singleton. However, there are evidences from dialectal data in these languages that the two morphemes are found. Furthermore, the datashow that there is acompetition of grammars in BP.
KEYWORDS: agreement; Portuguese; variation; morpheme; competition of grammar


Tradução:
Este trabalho discute a concordância no português brasileiro (doravante PB) e no português europeu (doravante PE) no domínio interno do DP (Determiner Phrase) e no domínio entre o DP sujeito e a flexão verbal. Para tanto, revisitaremos a proposta de Costa e Figueiredo Silva (2003) que, embasados na perspectiva teórica da Morfologia Distribuída (EMBICK; NOYER, 2001; NOYER, 2003), argumentam que no PE aconcordância morfologicamente visível é categóricanos dois domínios por ser o morfema dissociado, ao contrário do PB cujo morfema é singleton. No entanto,há evidências, a partir de dados dialetais nessas línguas,de que os dois morfemas são encontrados. Ademais, esses dados revelam que em PB trata-se de competição de gramáticas.
Palavras-chave: concordância; português; variação; morfema; competição de gramática
Publicado
2016-06-15
Edição
Seção
Artigos