5) De mais a mas : categorização, heterossemia e polissemia

  • Naira Velozo (UERJ/FACHA)
  • Sandra Bernardo (UERJ/PUC-Rio)

Resumo

Tradução: From the adverb "mais" to the conjuction "mas": categorization, hetero semy, and polysemy
This paper aims to analys e occurrences of mais (‘more’) and mas (‘but’) in a mediation session, a judicial process step, in order to test hypotheses about the grammaticalization of mais (‘more’) and mas (‘but’). Based on Castilho’s studies (2010) and the concepts of polysemy, heterosemy (LICHTENBERK, 1991) and image schemas (CROFT and CRUSE, 2004), we argue that (i) both the adverb and the conjunction reveal extensions of meaning, configuring a case of polysemy, and (ii) synch ronously, mais (‘more’) and mas (‘but’) can be described as a case of heterosemy. Among the cognitive schemas that underlie these meanings, the following schemas were found: FORCE, BLOCKAGE and COUNTERFORCES.
Keywords: mais (more),mas (but), polysemy, heterosemy, image schemas.



Tradução:
Este trabalho analisa ocorrências de mais e mas em uma sessão de mediação, etapa de um processo judicial, com vistas a testar hipóteses acerca do processo de gramaticalização de mais a mas. Com base nos estudos de Castilho (2010) e nos conceitos de polissemia, heterossemia (LICHTENBERK,1991) e esquemas imagéticos (CROFT e CRUSE,2004), levantam-se as hipóteses de que (i) tanto o advérbio quanto a conjunção revelam extensões de sentido, configurando um caso de polissemia, e que (ii) sincronicamente mais e mas podem ser descritos como um caso de heterossemia. Entre os esquemas imagéticos que fundamentam tais sentidos, encontram-se os de BLOQUEIO e FORÇA CONTRÁRIA.
Palavras-chave: mais,mas, polissemia, heterossemia, esquemas imagéticos
Publicado
2016-06-15
Edição
Seção
Artigos