3) Aprendizagem da Língua Inglesa como terceira língua (L3) por aprendizes surdos brasileiros: investigando a transferência léxico-semântica entre línguas de modalidades diferentes

  • Maria Clara Corsini Silva (PUCRS) Lilian Cristine Hübner (PUCRS)

Resumo

Inglês: Learning English as a third language (L3) by Brazilian deaf learners: investigating lexical-semantic transfer between languages of different modalities
The aim of the article is to analyze the process of lexical-semantic transfer in English as an L3 by nine (9) deaf native users of the Brazilian Sign Language (LIBRAS), learners of Brazilian Portuguese (BP) (L2). Three lexical tasks were administered with E - prime software, together with a word production task in English. The results indicated lexical transfer between languages of different modal it ies (LIBRAS and BP), as well a higher transfer from LIBRAS to English in comparison to BP, an oral language as well as English, but in a lower proficiency level as compared to LIBRAS. The results corroborate the hypotheses of languages co -activation in a bilingual/ multilingual mind.
Key-words:
LIBRAS (Brazilian Sign Language). Deaf ness. Third Language (L3) Acquisition.Multilingualism. Lexical and Semantic Transfer.


Tradução:
O objetivo do artigo é analisar o processo de transferência léxico-semântica na Língua Inglesa como L3 por nove (9) surdos, usuários nativos da LIBRAS (L1) aprendizes da Lingua Portuguesa (L2). Foram aplicadas três tarefas lexicais com o programa E-Prime e um teste de produção de palavras escritas em Inglês. Os resultados indicaram transferência entre línguas de modalidades distintas (LIBRAS e Inglês), bem como uma transferência maior da LIBRAS para o Inglês na comparação com o Português, língua oral como o inglês, mas em nível mais baixo de proficiência na comparação com a LIBRAS. Os resultados estão em consonância com a hipótese da coativação das línguas na mente de um bi/multilíngue.
Palavras-chave:
LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais); surdez; aquisição deterceira língua (L3);multilinguismo;transferência léxico-semântica.
Publicado
2016-06-08
Edição
Seção
Artigos