A invocação das Musas e o encantamento do mundo

Autores

  • Larissa Dantas Camargo Mello UFJF

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2023.v20.41385

Palavras-chave:

Musas. Palavra. Poeta. Inspiração. Grécia antiga

Resumo

No vigente artigo, exploramos o papel das Musas na Grécia Antiga como entidades inspiradoras da poesia e, de modo mais abrangente, doadoras do próprio ato criativo. Observaremos os elementos que denotam importância para a atividade poética, ressaltando a questão da relevância das palavras para o grego antigo. As Musas eram reverenciadas como fontes divinas de inspiração, especialmente na poesia. Através de sua influência, os poetas cantavam a cosmogênese e expandiam o horizonte de articulação simbólica das mulheres e dos homens. Na poesia residia, guardado, todo um universo de configurações sociais e culturais. Examina-se, portanto, a relação íntima entre as Musas e os poetas, destacando-se, principalmente, elementos da Teogonia de Hesíodo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALONSO, Bruno. Oralidade, escrita e estilo em Platão e Montaigne. Revista PHILIA, v. 1, n. 2, p. 124-145, 2019.

BURKERT, Walter. Greek religion: arcaic and classical. Oxford: Blackwell Publishing, 1985.

BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia grega, vol. 1. Petrópolis: Editora Vozes, 2015.

BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia grega, vol. 2. Petrópolis: Editora Vozes, 1987.

CAMPBELL, Joseph. O herói de mil faces. São Paulo: Editora Pensamento, 2013.

CASSIRER, Ernst. Linguagem e mito. São Paulo: Perspectiva, 2013.

FRANKEL, Hermann. Early Greek poetry and philosophy. Oxford: Helen and Kurt Wolff Book, 1962.

GUSMÃO, Cynthia. Musas e música no plano epistêmico da memória da antiga Grécia. Revista Música, v. 16, n.1, p. 9-24, 2016.

HESÍODO. Teogonia: a origem dos deuses. Estudo e tradução Jaa Torrano. 3. ed. São Paulo: Editora Iluminuras, 1995.

JAEGER, Werner. Paideia: a formação do homem grego. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

KRAUSZ, Luis S. As musas: poesia e divindade na Grécia arcaica. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2007.

NOTOUPOLOS, James A. Mnemosyne in oral literature. American Philological Association, v. 69, p. 465-493, 1938.

OTTO, Walter Friedriech. Las Musas: el origen divino del canto y del mito. Buenos Aires: Editora Universitaria de Buenos Aires, 1981.

OTTO, Walter Friedriech. Os deuses da Grécia. São Paulo: Odysseus, 2005.

OTTO, Walter Friedriech. Teofanía. San Miguel: Sexto Piso, 2007.

PHILIPPSON, Paula. Origini e forme del mito greco. Turim: Bolatti Boringhieri, 1983.

PLATÃO. Diálogos: Mênon, Banquete, Fedro. Tradução Jorge Paleiikat. Rio de Janeiro: Ediouro.

SEMENZATO, Camille. A l’écoute des Muses em Grèce Arcaique. Berlim: De Gruyter, 2017.

VERNANT, Jean-Pierre. Mito e religião na Grécia antiga. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

Downloads

Publicado

2023-08-18

Como Citar

DANTAS CAMARGO MELLO, L. A invocação das Musas e o encantamento do mundo . Sacrilegens , [S. l.], v. 20, n. 1, 2023. DOI: 10.34019/2237-6151.2023.v20.41385. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/41385. Acesso em: 25 jun. 2024.