Frida Kahlo: espiritualidade, arte e coragem de ser

Autores

  • Maria Angélica Farias Jurity Martins PUC-Campinas

DOI:

https://doi.org/10.34019/2237-6151.2022.v19.37151

Palavras-chave:

Frida Kahlo; espiritualidade; arte; coragem de ser

Resumo

Este artigo tem como ponto de partida a necessidade de se colocar em pauta a relação entre teologia e arte. A arte como forma simbólica expressa os sentidos existenciais profundos do artista, dando-nos acesso a uma nova dimensão do seu ser: a espiritual. Entendemos a dimensão espiritual como aquela que dá movimento e direção às nossas realizações na vida. É nesse sentido que, do encontro com a arte de Frida Kahlo, nasce esta proposta de apontar os sinais de uma realidade transcendente no seu autorretrato “Colar com Espinhos e Beija-flor”, de 1940. Dentro de uma abordagem hermenêutica fenomenológica, optamos pela pesquisa bibliográfica, elegendo como referencial teórico a teologia da cultura de Paul Tillich

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, Hannah. A condição humana. 11ª.edição. Rio de Janeiro: Forense, 2010.

CHIP, Herschel Brownine; SELZ, Peter Howard; TAYLOR, Joshua Charles. Teorias da arte moderna. 2ª edição. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

CASSIER, Ernst. Ensaio sobre o homem: introdução a uma filosofia da cultura humana. Trad. Tomás R. Bueno. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

CAVALCANI, Carlos Eduardo. Teologia e Literatura: princípio profético, busca de sentido e ambigüidades na vida religiosa. Revista Eletrônica Correlatio, São Paulo, nº 14, dez/ 2008. Disponível em:https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/COR/article/view/1028/1071. Acesso em 08 out. 2021.

DREBES, Haidi. A expressão da Espiritualidade na obra pictórica de Frida Kahlo no horizonte da teologia da cultura de Paul Tillich. 2005. 168 f. Tese (Doutorado em Teologia) -Escola Superior de Teologia São Leopoldo, Rio Grande do Sul. 2005. Disponível em: http://www3.est.edu.br/biblioteca/btd/Textos/Doutor/drebes_h_td51.pdf. Acesso em 20 ago. 2016.

HEMINGWAY, Ernest. Adeus às Armas. 8ª edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

HERRERA, Hayden. Frida: uma biografia. São Paulo: Globo, 2011.

HUXLEY, Aldous. Admirável Mundo Novo. São Paulo: Globo, 2001.

KAHLO, Frida. El diario de Frida Kahlo: un intimo autorretrato. México: La Vaca Independiente, 2014.

MARTINS, Maria Angélica F. Jurity; MARTINS, Presley Henrique. Literatura e religião nas obras Adeus às Armas e Olhai os Lírios do Campo. Sacrilegens, Juiz de Fora, v. 17, n. 2, p. 247-263, jul-dez/2020. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/32707/21929. Acesso em 08 out. 2021.

ORTEGA Y GASSET, José. A desumanização da arte. São Paulo: Cortez, 1991.

TILLICH, Paul. Dinâmica da fé. 3ª edição. São Leopoldo, RS: Editora Sinodal, 1985.

____________. A coragem de ser. 6ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

____________. Teologia da cultura. São Paulo: Fonte Editorial, 2009.

Figura 1. Ex-voto, 1943, óleo sobre metal, 19 x 21,1 cm. Coleção particular.

Figura 2. Frida Kahlo e Diego Rivera, 1931, óleo sobre tela, 100 x 78, 7 cm. Museu Frida Kahlo, Cidade do México. Disponível em: http://www.museofridakahlo.org.mx/. Acesso em 15 jul. 2017.

Figura 3. Autorretrato com colar de espinhos e beija-flor, 1940, óleo sobre tela, 63,5 x 49,5 cm. Museu Frida Kahlo, Cidade do México. Disponível em: http://www.museofridakahlo.org.mx/. Acesso em 20 jul. 2019

Downloads

Publicado

2022-08-26

Como Citar

FARIAS JURITY MARTINS, M. A. Frida Kahlo: espiritualidade, arte e coragem de ser. Sacrilegens , [S. l.], v. 19, n. 1, 2022. DOI: 10.34019/2237-6151.2022.v19.37151. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/37151. Acesso em: 26 set. 2022.