Trânsito religioso

apropriações de elementos afro-brasileiros no neopaganismo

Palavras-chave: Pluralidade Religiosa, Umbanda, Interreligiosidade, Wicca

Resumo

O trabalho identifica e analisa as práticas litúrgicas que se desenvolvem entre as manifestações da Umbanda e suas apropriações pelos grupos wiccanos ou neopagãos, surgidos no Brasil nas últimas décadas, como a wicca, um movimento religioso que se institucionalizou a partir da chamada "antiga religião", um conjunto de práticas religiosas pré-cristãs ligadas à feminilidade e a natureza. A pesquisa partiu de observações participantes e entrevistas semi-estruturadas com membros de destaque em ambos os grupos. Enfatizam-se na análise as problemáticas sobre a identidade religiosa construída a partir do trânsito religioso entre os grupos e sua hibridização. Um dos resultados mais evidentes mostrou que tais apropriações se originaram a partir da migração dos atuais sacerdotes wiccanos que primeiramente atuaram como mães-de-santo e que se converteram a este novo movimento religioso.

Biografia do Autor

AMARO XAVIER BRAGA JUNIOR, Universidade Federal de Alagoas

É Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais (UFPE), Esp. em História das Artes e das Religiões (UFRPE), Esp. em Artes Visuais (SENAC), Esp. em Gestão de EAD (Esc. Exército/UCB), Mestre e Doutor em Sociologia (UFPE), Mestre em Antropologia Social (UFAL). É professor efetivo do Instituto de Ciências Sociais da Universidade Federal de Alagoas - UFAL. 

Referências

AMARAL, Leila. Carnaval da Alma: comunidade, essência e sincretismo na Nova Era. Petrópolis: Vozes, 2000.


ANDRADE, Joachim. A pluralidade e o diálogo entre as religiões. Jornal Mundo Jovem, Porto Alegre: PUCRGS. Disponível em: < http://www.pucrs.br/mj/artigo-a-pluralidade-e-o-dialogo-entre-as-religioes.php>. Acesso em: 28 maio 2010.


BARBERO, J. M. Dos Meios às Mediações: Comunicação, Cultura e Hegemonia. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2003.


BRAGA JR, A. X. . As ressurgências inter-religiosas entre o kardecismo, a umbanda e o xangô.. In: Seminário Internacional de História das Religiões/III Simpósio Nacional da Associação Brasileira de História da Religião. - IBHR, 2001, Recife. Anais do Seminário Internacional de História das Religiões/III Simpósio Nacional da Associação Brasileira de História da Religião. - IBHR. Recife : ANPUH, 2001. v. 1. p. 1-2.


CAMARGO, Maria Thereza Lemos de Arruda. As plantas na medicina popular e nos rituais afro-brasileiros. Herbarium – Estudos de Etnofarmacobotânica, 1998. Disponível em: . Acesso em : 28 maio 2010.


CAMURÇA, Marcelo. Espaços de Hibridização, Dessubstancialização da Identidade Religiosa e Idéias Fora do Lugar. Ciencias Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião, Porto Alegre, ano 5, n. 5, p.37-65, out 2003.


CANCLÍNI, Nestor Garcia. Culturas Híbridas: Estratégias para Entrar e Sair da Modernidade. São Paulo: Edusp, 1997.


CERIDWEN, Mavesper Cy. História da Associação. ABRAWICCA. 2007. Disponível em:. Acesso em: 28 maio 2010.


COELHO, Vânia C. Ritos encantatórios: os signos que serpenteiam as chamadas bruxas. São Paulo: Annablume, 1998.


FERRETTI, Sergio F. Repensando o Sincretismo: Estudo sobre a Casa das Minas. São Paulo:EDUSP/São Luís:FAPEMA, 1995.


HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2006.


MENDONÇA, Antonio Gouvêa. República e pluralidade religiosa no Brasil. Revista USP, São Paulo, n.59, p. 144-163, set./Nov. 2003. Disponível em: . Acesso em: 28 maio 2010.


NEGRÃO, Lísias Nogueira . O pluralismo religioso e multiplicidades no Brasil contemporâneo. Soc . estado., Brasília , v. 23, n. 2, maio/ago. 2008. p.261-279. Disponível em: . Acesso em: 28 maio 2010.
Publicado
2020-07-31
Como Citar
BRAGA JUNIOR, A. X. Trânsito religioso: apropriações de elementos afro-brasileiros no neopaganismo. Sacrilegens , v. 17, n. 1, p. 195-212, 31 jul. 2020.