O Silêncio do som

a música de vanguarda e o budismo Zen

  • Leonardo Stockler PUC-SP
Palavras-chave: John Cage, zen budismo, vanguarda, silêncio, história da arte

Resumo

Este artigo procura interpretar os usos dados à experiência transcendental do budismo Zen, o satori, no contexto da música de vanguarda do compositor americano John Cage. É possível dizer que um dos grandes temas e pesquisas de sua obra, e de sua vida, é o silêncio. Na criação de um espaço de escuta aberto para a espontaneidade, pelo qual se permite a “escuta” do silêncio, Cage redefiniu para si novos meios e formas para lidar com a organização do material sonoro, estruturando-o a partir do acaso. O Zen servirá, para Cage, como justificativa teórica capaz de evocar o Outro da sociedade na qual se encontra, a ser incorporado em seu método composicional – um método que tenciona borrar as fronteiras entre a arte e a práxis vital, e formular uma crítica à categoria de “obra”, na esteira daquele que seria, por excelência, o projeto das vanguardas históricas.

Referências

Fontes

BOULEZ, Pierre. The Boulez-Cage correspondence. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.


CAGE, John. A Year from Monday: New lectures and writings by John Cage. Hanover: Wesleyan University Press, 1967.


__________. Composition in retrospect. Cambridge: Exact Change, 1993.


__________. Empty Words: Writings ’73-’78. Hanover: Wesleyan University Press, 1979.


__________. M: Writings ’67-‘72. Hanover: Wesleyan University Press, 1973.


__________. Silence: Lectures and writings by John Cage. Middletown: Wesleyan University Press, 1961.


__________. X: Writings ’79-’82. Middletown: Wesleyan University Press, 1983.


__________. For the birds: John Cage in conversation with Daniel Charles. Boston: M. Boyars, 1995.


KOSTELANETZ, Richard. Conversing with Cage. 3. ed. New York: Limelight, 1991.


Discografia

CAGE, John. Complete Piano Music, V. 1-10: com Steffen Schleiermacher. Alemanha: MDG, 2004. CD.


Artigos

BIAZOLI, Isis. O silêncio em Webern: uma escuta do Op. 30 a partir das concepções de silêncio de Cage e Boulez. Revista Música: São Paulo, v.13, nº1, p. 96-135, ago. 2012.


DURÃO, Fábio Akcelrud. Duas formas de se ouvir o silêncio: revisitando 4’33. Kriterion: Belo Horizonte, nº 112, dez. 2005, p. 429-441.


Dissertações e Teses

HELLER, Alberto Andrés. John Cage e a poética do silêncio. Tese (Doutorado em Teoria Literária). Florianópolis: UFSC, 2008.


DAS NEVES, Marcus Vinícius Marvila. Entre campos: a música de invenção na poética de Augusto de Campos. Dissertação (Mestrado em Letras). Vitória: UFES, 2010.


Livros

ADDLINGTON, Robert (org.). Sound commitments: Avant-garde Music and the Sixties. Nova York: Oxford University Press, 2009.
ADORNO, Theodor W. Dialética negativa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.


___________________. Filosofia da nova música. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1989.


___________________. Introdução à sociologia da música. São Paulo: Editora Unesp, 2009.


___________________. Teoria estética. Lisboa: 70, 1993.


BÜRGER, Peter. Teoria da vanguarda. São Paulo: Cosac & Naify, 2008.


COHEN, Renato. Performance como linguagem: criação de um tempo-espaço de experimentação. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2011.


COOMARASWAMY, Ananda Kendish. The transformation of nature in art. New York: Dover, c1934.


ECO, Umberto. Obra aberta: forma e indeterminação nas poéticas contemporâneas. 2.ed. São Pauo: Editora Perspectiva, 1971.


MAERHOFER, John W. Rethinking the vanguard: aesthetic and political positions in the modernist debate, 1917-1962. UK: Cambridge, 2009.


MARCUSE, Herbert. A dimensão estética. Lisboa: Edições 70, 2011.


NICHOLLS, David (org.). The Cambridge companion to John Cage. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.


PADDISON, Max; DELIÉGE, Irene (org.). Contemporary music: theoretical and philosophical perspectives. USA: Ashgate, 2010.


PERLOFF, Marjorie. John Cage: composed in America. Chicago: University of Chicago Press, 1994.


________________. The poetics of indeterminacy: Rimbaud to Cage. Evanston, Ill: Northwestern University Press, 1999.


PRITCHETT, James. The Music of John Cage. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.


SCHAFER, R. Murray. A afinação do mundo: uma exploração pioneira pela história passada e pelo atual estado do mais negligenciado aspecto do nosso ambiente: a paisagem sonora. 2.ed. São Paulo: Editora Unesp, 2011.


SONTAG, Susan. A vontade radical: estilos. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.


STEINER, George. Linguagem e silêncio: ensaios sobre a crise da palavra. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.


SUZUKI, Daisetz Teitaro. Introdução ao Zen-Budismo. São Paulo: Pensamento, 1989.


____________________. Mística: cristã e budista. Belo Horizonte: Itatiaia, 1976.


____________________. Viver através do Zen. Rio de Janeiro: Zahar, 1997.


____________________. Zen and japanese culture. New York: Princeton University Press, 2010.


TERRA, Vera. Acaso e aleatório na música: um estudo da indeterminação nas poéticas de Cage e Boulez. São Paulo: EDUC, 2000.


USARSKI, Frank. O Budismo e as outras: encontros e desencontros entre as grandes religiões mundiais. São Paulo: Ideias & Letras, 2017.


WATTS, Alan W. O budismo Zen. 5. ed. Lisboa: Presença, 2000.


WILHELM, Richard. I Ching: o livro das mutações. 27. ed. São Paulo: Pensamento, 2011.


WISNIK, José Miguel. O som e o sentido: uma outra história das músicas. 2.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.
Publicado
2020-02-28
Como Citar
STOCKLER, L. O Silêncio do som: a música de vanguarda e o budismo Zen. Sacrilegens , v. 16, n. 2, p. 144-165, 28 fev. 2020.