Religião a partir da experiência originária da vida: proposta de Heidegger e sua crítica ao Sagrado de Otto1

Autores

  • Miguel Angelo Caruzo

Palavras-chave:

Heidegger, Otto, Religião, Sagrado, Vida

Resumo

Este trabalho visa apresentar a proposta heideggeriana de acesso ao fenômeno religioso,
bem como sua crítica ao conceito de irracional no pensamento de Rudolf Otto. Este
autor postulou em sua obra O Sagrado, publicada em 1917, a presença do elemento
racional e irracional na religião. Entretanto, sua concepção está no âmbito neokantiano,
cuja estrutura é transcendental, constituída pela dicotomia sujeito/objeto; perspectiva
debatida criticamente no início do século XX. Entre os que visavam superar essa
corrente de pensamento, está o filósofo alemão Martin Heidegger. Este pensador, entre
1918 e 1919, esboçou considerações visando um curso, intitulado Os fundamentos
filosóficos da mística medieval, que não foi ministrado. Essas anotações, de cunho
fragmentário, continham, entre outras abordagens, uma breve crítica ao pensamento de
Otto. Além disso, a totalidade dessas anotações possui oposições aos pensamentos que,
segundo o filósofo de Messkirch, visam lançar o olhar à religião a partir de constructos
teóricos que obnubilam a esfera da experiência originária da vida. Nossa proposta,
portanto, é apresentar a perspectiva de Heidegger e demonstrar em que medida, para
este, o ponto de vista de Otto é limitado.

Referências

CARUZO, Miguel Angelo. A faticidade no jovem Heidegger. In. Seara Filosófica. N. 7
Verão, 2013, pp. 110-121.(a)
______. O tempo a partir da Introdução à fenomenologia da religião do jovem
Heidegger. In: 26º Congresso Internacional da Sociedade de Teologia e Ciências da
Religião: Deus na sociedade plural: fé, simbolos, narrativas., 2013, Belo Horizonte.
Anais do Congresso da Soter. Belo Horizonte: PUC Minas, 2013. p. 443-453.(b)
______. Religião sem Deus: contribuição do jovem Heidegger para a filosofia da
religião. In. Sacrilegens. Juiz de Fora, v. 10, N. 1, jan/jun 2013, pp. 33-45.(c)
FILORAMO, Giovanni; PRANDI, Carlo. As ciências das religiões. Trad. José Maria
de Almeida. 5. ed. São Paulo: Paulus, 2010.
GASBARRO, Nicola Maria. Fenomenologia da Religião. In: USARSKI, Frank;
PASSOS, João Décio (orgs.). Compêndio de Ciência da Religião. São Paulo:
Paulinas/Paulus, 2013. p. 75-99.
GRESCHAT, Hans-Jüngen. O que é ciência da religião? Trad. Frank Usarski. São
Paulo: Paulinas, 2005.
HEIDEGGER, Martin. Os fundamentos filosóficos da mística medieval. In:______.
Fenomenologia da Vida Religiosa. Trad. Enio Paulo Giachini, Jairo Ferradin, Renato
Kirchner. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco,
2010. p. 289-320.
NIETZSCHE, Friedrich. Além do bem e do mal: prelúdio a uma filosofia do futuro.
Trad. Renato Zwick. Porto Alegre: L&PM, 2013.
OTTO, Rudolf. O sagrado: os aspectos irracionais na noção do divino e sua relação
com o racional. Trad. Walter O. Schlupp. São Leopoldo: Sinodal/EST; Petrópolis:
Vozes, 2007.

Downloads

Como Citar

CARUZO, M. A. . Religião a partir da experiência originária da vida: proposta de Heidegger e sua crítica ao Sagrado de Otto1. Sacrilegens , [S. l.], v. 12, n. 2, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/sacrilegens/article/view/26836. Acesso em: 11 abr. 2021.